sábado, 9 de maio de 2009

CAPRICHO faz parte da minha história.

2 comentários:
Comecei ler CAPRICHO quando estava da 5a série, e minha amiga Susana, levava as que a irmã dela assinava, para eu ler...me lembro uma das capas que mais gostei, até hoje...

era sobre a CAPRICHO especial da Disney, com uma foto linda do Mickey em frente ao Castelo da Cinderela

Quando eu estava na 6a série, minha mãe comprava a revista para mim, para eu "não ficar pegando emprestadas as coisas dos outros" como ela costumava dizer...minha primeira CAPRICHO compranda em banca custou CRZn 6.000...sim...6 mil cruzeiros novos...hahaha

Isso era 1992 e eu tinha 12 anos...lembro que a capa era rosa, e se não me engano era a revista que falava sobre o corpo, algo assim...as capas da revista eram lindas, super bem produzidinhas...quando comecei a ler, não tinha esse boom e esse frisson todo em cima das estrelinhas de Hollywood...agora toda quinzena só tem Jonas Brothers (que sinceramente, se fossem brasileiros e de classe média, ninguém ia saber qual deles é qual, de tão carinha comum que eles têm), Miley Cirrus e seus dentinhos de fora, a Selena Gomez...que passa num seriado da Disney Channel, e claro...muito, mas muito mesmo o elenco do High School Music e do filme Crepúsculo...

Na minha época a revista falava de assuntos relevantes, como a primeira vez, relacionamento familiar, literatura, graduação (tenho matérias sobre a profissão Publicidade, que tirei das edições, e estão na minha pastinha nostálgica "I wanna be advertiser"...agora sou...eeeeeehh)Enfim, a CAPRICHO era formadora, mas do que de opinião, ajudadora de formaçãop de caráter e tb de ideiais, estilo de verdade...

Tive por muitos, mas muitos anos mesmo a assinatura e a cancelei há uns 4 anos atrás. Agora só compro quando dá na veneta, direto nas bancas...

Agora o que se vê é muito, mas muito mesmo matérias sobre a vida alheia...sobre os "zé ninguém" ou as estrelas de fora...e as meninas acabam se espelhando nesses estereótipos e não formando suas próprias personalidades.
Mas tá valendo...

E hoje, eu, na Saraiva, entrei para comprar um livro, meu presente salarial do mês...rsrsr (comprei o livro "A viagem de Théo"...em outro post falo mais sobre...), peguei um caderninho para continuar anotando o treinamento da empresa pq o meu acabou e ...PEGUEI UMA CAPRICHO...peguei pq estava com saudade de comprá-la e ver o editorial de moda e as matérias de estilo...na capa, uma das atrizes jovens que mais gosto, a Marjorie Estiano, que tb foi um estímulo para a compra...

No caixa, pagando, a menina anotando meu CPF para pontuar no meu Saraiva Plus, enquanto olha a capa da revista, enquanto passa no leitor de código de barras, diz assim:
"Hum...Capricho..." (com cara de quem diz "Sua quase balzaquiana, vá ler NOVA ou Cláudia")
E eu sem graça, digo, de saia justa..."É pra ler ver moda"
Mas comprei sim, com meu rico e suado dinheirinho, pra ver moda, pra ler as matérias bobinhas, pra recortar e colar na agenda (sim, tenho várias agendas e uma delas é a nostálgica agenda diário, de confissões e colagens de fotos e revistas...)
Bela e formosa sai da Saraiva com a minha revista na minha sacolinha amarela
Leio mesmo...leitura nunca é demais...
E CAPRICHO, com estrelinhas quase apagadas ou dos bons tempos, será sempre CAPRICHO...desde os tempos aureos que minha mãe lia as novelas, desde os tempos que eu sonhava com o leonardo Vieira e o Fábio Júnior...

É, amor a gente não explica...nem pelos ídolos, nem pelas revistas, nem por nada. A gente só ama e essa será uma revista que gostarei de fazer assinatura para minha filha, quando ela quiser...


sábado, 2 de maio de 2009

A boa menina...

Nenhum comentário:

"O bom menino não faz pipi na cama,
o bom menino não faz malcriação,
o bom menino vai sempre á escola,
o bom menino estuda sempre a lição"

E eu...cansei mesmo de ser a pessoinha da música ai de cima, aliás, aprendi que não preciso ser.

E já faz tempo, mas ultimamente tenho deixado bem claro isso.

Uma ex chefe minha, hoje uma querida amiga, me dizia que dava pra ver
no meu rosto quando eu não gostava de alguma coisa...sinceridade á flor da pele.

E não acho um defeito que me atrapalhe, até ajuda.

Poupo palavras quando algo está saindo do tom.

E sinceramente, até quando choro e falo literalmente o que me incomoda,
não tenho conseguido me sentir culpada...e sou muito em paz por isso.

Uma pessoa da minha família tem como seu hobby principal querer me tornar um modelo de pessoa (acho que Dalai Lama ou Madre Teresa)...mas sempre batemos de frente, porque essa possibilidade não existe...porque eu sou eu, ela é ela e fulano é fulano e assim por diante...

O engraçado é que todo mundo (ou pelo menos a maioria das pessoas sãs entendem isso) menos ela (ou entende e faz que não)...

Não, eu não sou toda sorrisos pra algo que me desagrada, não, eu não vou arrumar uma gastrite pra mim, não, eu não sei ser quem não sou, só pra agradar...e sim, eu sei falar não...rsrs.

Mas de verdade, agora sei abdicar de algo que eu não queira ou não possa realizar, uma tarefa que eu não esteja com vontade para cumprir.

O não tem seu lado libertador, recompensador e que de algum modo dá paz, quando, com o tempo, as pessoas vão percebendo que somos simpáticos, mas não estamos disponíveis para viver a vida delas 24 horas por dia, e nem viver a vida como elas "sonham" que devamos viver.

E mais uma coisa que me intriga...sou eu quem faz companhia até ao médico, ao banco, ao shopping, ao supermercado, faço diversas gentilezas e companhia...porque eu sou a ruim e as pessoas falsas e que não se dispõem são as boas?? Devo estar ficando louca, os valores devem estar muito confusos, trocados...

"A boa menina faz xixi onde bem entende,
a boa menina fala o que precisa ser dito,
a boa menina vai á escola ao curso que gosta,
a boa menina estuda sempre a lição que mais gosta"

Não...e isso não é egoismo, é cuidar da minha própria vida, e doar-me a mim mesma

Como dizia minha avó...pra essas pessoas que querem nos limitar das nossas vontades, jeito de ser e ideiais :

"Gostou, gostou...não gostou, lambe com sal" =)