quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Por que cargas d'água vim aqui? Ao mundo...

Eram 5:20 da manhã de hoje e minha madrinha me chama na janela para me dar um recado.
Dai em diante não dormi. Liguei o notebook...o sono se foi mesmo.

E comecei pesquisar a seguinte pergunta no Google: "já fiz 4 anos de publicidade preciso fazer 4 anos de jornalismo ou 2 anos?"

Dai tive que desligar o note, deu pau...e ao religar, aliás, enquanto ia reiniciando, claro, minha cabeça, como tem sido frequente ultimamente, não parava de questionar se eu realmente quero fazer jornalismo.
E comecei ler artigo, fóruns, de um monte de gente, mais ou menos assim: "pra ser jornalista não precisa ter diploma", "fiz jornalismo, mas atuo em publicidade sem ser formado", "atuo em publicidade há cinco anos e comecei a faculdade há dois meses".

Pensei então, caramba...tem um monte de gente no meu lugar e no lugar de um monte de gente bacana, mas que se preocupou em sua formação; enquanto isso tem um bando de gente que se "jogou" e está se saindo bem no que escolheu.

E outro pensamento veio mais forte..."Nossa, faz tempo que larguei pra lá os sites de Publicidade". Abri então vários, em janelas na mesma tab do Explorer. Alguns sites nem existem mais, outros estão quentíssimos, com vagas, informações e etc sobre a área que escolhi estudar e depois de muito tempo me graduei.

Ás vezes, por não encontrar caminho, me enfiei numas roubadas (vulgo telemarketing...aliás, muitas e muitas vezes.). Mas hoje, analisando, vi que acabei entrando nessas porque era uma zona de conforto, já que eu havia "pego o jeito" da coisa.
Não fui atrás de publicidade porque ainda não me sentia preparada...mas não se está preparada nunca para pular de 1.000 metros só com uma cordinha na cintura, no entanto milhares de malucos fazem isso, sem dó nem piedade, e principalmente, sem olhar para trás. Acabei também suprimindo meu sonho e hoje graduação, com um outro sonho e hoje planejamento chegando a conclusão, o casamento.

Parecia que eu estava naqueles pesadelos que parecem reais e que a gente não consegue se defender, nem acordar...ou melhor, parecia que eu estava num sonho dentro de outro sonho.

Um segurando o outro. Só que a cada dia eu vejo que eu mesma me podei de tantas coisas, por ter limitações de morar em casa e morar longe, e não ter dinheiro suficiente para fazer cursos co-relacionados, e falta de coragem de bater nas portas e dizer: "estou aqui, sou boa nisso".

Se tanta gente sem "grife" e graduação consegue entrar até nos inúteis reality shows, porque eu, uma menina engajada, apaixonada, entusiasta da profissão que escolhi, não deslancho nessa "bagaça"?
Esse não é um post conclusivo, espero que seja apenas o reinício de tomada de caminho. Quero ter nas veias a mesma paixão de SER PUBLICITÁRIA que eu tinha quando comecei assistir entrevistas do Olivetto e do Nizan e nem mesmo estava na faculdade, mas aquilo me movia.

Um desabafo que serve pra eu me realinhar e quem sabe sirva para você também, pedagogo(a), estilista, faxineira, médico(a) e etc, etc realinharem a si mesmos e retomarem o caminho de seus sonhos.

Um comentário:

  1. É isso mesmo Ci, as vezes precisamos parar, se concentrar e ver que rumo de fato queremos, o que grita mais alto dentro da gente. Eu fiz e estou fazendo isto este ano, larguei o diploma e estou lutando pelo que de fato me faz feliz. Minhas artes. As vezes o simples é o que nos faz felizes. E nessa simplicidade estou tão feliz. Estou torcendo por vc. Vai dar tudo certo. Espere.

    ResponderExcluir

Comente! Gostaria de saber o que você pensa sobre o assunto =)