quinta-feira, 8 de abril de 2010

O mesmo que Lewis criou?

Nenhum comentário:
Meu blog não é um arquivo sobre a Alice e nem sobre o filme novo, apesar d'eu ser apaixonada pela história.

Estava eu hoje, na Saraiva da Rua São Bento com o meu amigo Kleyton e entramos pra ver a bancada com vários exemplares da história (inclusive o "Através do Espelho") e lá estava o "Guia visual de Alice no País das Maravilhas".
Me senti uma "fã de Legião Urbana" (não, eu não suporto essa banda, me refiro quanto á fervorosidade e paixão que tenho pela história) e vi várias coisas que não tem nada haver com o que sempre tive em mente, o que li, no original do Lewis Carroll e na versão em inglês. A versão da Disney tb faz parte do meu relicário mental sobre o tema.

E não sei, esse "guia" me fez ver com maus olhos o filme do Tim Burton que eu nem assisti ainda. Jonny Depp, por exemplo, ficou como o Chapeleiro Maluco (pra mim, um personagem interessante, mas secundário...dá um ar caricato ao Jonny, que bem poderia ser o Coelho, correndo sempre com seu relógio, sempre costurando a história).

Helena Bohram Carter já me decepciona nas fotos...o que é aquela Rainha de Copas anã e cabeçuda??...a Rainha, referência á Rainha Vitória, é grande, gorda e com cara de que manda mas ninguém tem medo...Helena ficou com cara de Humpa-Lumpa (escreve-se assim?? aqueles esquisitinhos do "A Fantástica Fábrica de Chocolate" que parecem "coisinhas do mau"), ficou com cara de uma espécie de bruxa-má naniquinha (nada contra pessoas baixas, peloamor, hein!? estou falando sobre a descaracterização da personagem).

E a jovem atriz sei lá o quê, que simplesmente tem o papel principal, a Alice Kingsleigh (o nome da atriz ainda não decorei), não me cativou desde o começo, quando vazaram as 1as fotos na net.
Tem muito cara de "menininhabonitinhasucessinhodehollywood" e não a carinha inocente e ao mesmo tempo questionadora da menina original.
Acho que bem deveria ser a Anna Hathaway a Alice...olha, e já me veio uma outra Rainha de Copas mais perfeita...Meryll Strepp...caracterizada gorda, mandona, gritando com seu vestido preto e vermelho...com aquele nariz afunilado, alta...o protótipo perfeito para a intenção da Rainha de Copas (só um palpite). E quer saber??...gostei do Mestre-Gato, com seu ar soturno e matreiro, mas ainda prefiro aquele sossegadão do filme da Disney, com cara de malandrão e listras rosas em dois tons, dando seus palpites lisérgicos e enfáticos, fazendo a Alice pensar profundamente ou só dando chance dela movimentar a mente ao longo do caminho.

Por falar em Anna Hathaway...quem é essa Rainha Branca, Senhor?? De onde tiraram essa personagem?

Tudo bem, sucesso de bilheteria pelo mundo, daqui a pouco chega por aqui...mas assim...ainda não assisti, claro, repito...mas espero que essa descaracterização (que se criou pelo guia visual na minha mente) não crie um outro "Alice no País das Maravilhas" nas mentes atuais que não conheciam a raiz da história e nem crie uma história medíocre que não existe na mente de milhões de crianças que um dia crescerão e espero, sejam adultos que valham a pena, questionadores, pensantes, com feeling.

Que seja um caminho doce e misterioso, ácido (sem trocadilhos) e perspicaz aos que cairem com Alice, através do buraco na árvore em que ela dormia com sua gata Dinah no colo. Que seja uma viagem mágica, que dê margem para cada um interpretar por sua inteligência emocional, sem ser castrado por uma exigência de sucesso e grandes bilheterias de Hollywood...o encantamento dessa história não merece ser podada por causa do capitalismo e sim ser levada por trilhas interpretativas e que cresçam em nós as dúvidas e os sabores próprios que criarmos.
Cintya Nogueira