quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Bisfenol-A: Perigo nas mamadeiras e plásticos?

Os contaminantes químicos estão causando dano às pessoas. Por isso, milhares de defensores de saúde no mundo, ativistas ambientais e grupos de aleitamento materno estão pedindo a eliminação de substâncias tóxicas do meio ambiente.

Pesquisas recentes, por exemplo, têm demonstrado que o Bisfenol-A (BPA), um composto utilizado na fabricação do policarbonato - plástico transparente e rígido - pode estar relacionado a diversos problemas de saúde.

Tal produto é amplamente encontrado em embalagem para alimentos, no interior das latas, revestimento de recipiente de leite, mamadeiras, tubulação plástica e até mesmo seladores dentais.

Segundo estudiosos, o aumento do risco é identificado, quando o produto com BPA é exposto ao calor, quer seja no microondas ou por receber líquidos aquecidos, além de lavado com detergentes fortes.

O Bisfenol-A faz parte de uma lista de disruptores endócrinos, substâncias prejudiciais à saúde que imitam hormônios como o estrogênio modificando o seu funcionamento.

O estudo Toxic Baby Bottles, publicado em fevereiro de 2007 pelo Environment California Research and Policy Center, revela que mesmo em pequenas quantidades este produto químico pode provocar doenças, tais como: alterações do sistema imunológico, aumento da próstata, diabetes, hiper-atividade, infertilidade, obesidade, puberdade precoce e câncer da mama.

Deste modo, é fundamental que o consumidor identifique um número presente em todas as embalagens plásticas. Geralmente ele está gravado no seu fundo, identificando o tipo de plástico utilizado em sua composição e sua indicação, ou não, de reciclagem.

O plástico de número 7 (ou as letras PC) é considerado o que traz maior risco de libertar Bisfenol A.

Eis algumas instruções para diminuir o contato do seu neném com o bisfenol-A:

1. Compre mamadeiras sem a substância bisfenol-A ("Livre de Bisfenol-A" ou "Bisphenol-A Free"). A identificação deve ser encontrada no fundo do produto = plástico número 7.

2. Não aqueça a mamadeira de plástico no microondas ou em banho-maria. Primeiro esquentar em um recipiente de vidro ou porcelana e, posteriormente, passar para a mamadeira.

3. Deixe o alimento o mínimo possível dentro do recipiente

4. Dê preferência à mamadeira de vidro, contudo, fique atento no ato do seu filho manuseá-la.

5. Depois da esterilização:
a) Esperar o recipiente esfriar;
b) Lavar em água corrente com sabão biodegradável;
c) colocar o alimento na mamadeira.


Fonte: Isabela Antunes Joffe - Sócia do Mundo Verde.
Correspondente do site Mundo Verde e Informativo em Nova York.

Um comentário:

  1. Já recebi e-mail atentando sobre o risco do Bisfenol-A em Mamadeiras e Plástico.

    Mas vale sempre lembrar,pra ficarmos de olhos abertos!!

    Beijos

    ResponderExcluir

Comente! Gostaria de saber o que você pensa sobre o assunto =)