Marketing e Inovação...


Cada vez que eu lia a palavra Tecnologia e Inovação, pensava em algo bem distante, algo chato, de gente cabeça, nerd, acima da média, os caras de óculos grandes que sempre tinham uma resposta genial que ninguém, a não ser eles mesmos, iriam entender...

Mas fico tão feliz em saber que tecnologia e inovação são coisas que fazem parte da nossa vida, ali, lado a lado e podem entrar em cena para tornar melhor inclusive nosso trabalho (não voltei a trabalhar ainda, mas estou buscando recolocação profissional e pesquisando os cursos para 2013...não dá pra aprar de estudar, autodidaticamente ou numa instituição).

O tempo que nos diziam "algo é assim, coisa tal é assado" não me convence mais, nunca me convenceu, não que isso seja "ó, uma grande coisa", mas sempre fui vanguardista, mesmo quando eu nem sabia o que significava sê-lo (e nem há milhões de pessoas também). 

Antes eu tinha um medinho tacanha de fazer diferente do que estavam esperando e simplesmente me estabacar e demorar muito pra reenguer minhas convicções na área que escolhi e até na vaga que eu havia conquistado. 

Sou de um tempo que era pregado uma visão de que, quem era de Publicidade ficava na agência, ou escrevendo e co-criando com sua dupla super legal, ou desenhando (o outro da dupla de co-criação), ou vendendo a propaganda (o Atendimento era o que mais se aproximava da "pessoa de Marketing" na agência), ou buscando onde seria vendida, ou planejando como ela seria vendida.

Já o marketing era uma coisa de gente de terno, que só não eram bancários porque não trabalhavam no banco (redundante pra ficar claro, sabe?!), mas da mesma forma procuravam as melhores possibilidades de vendas, quase como num telemarketing ativo, sendo duros e incisivos em seus objetivos. Essa postura de trabalho não me atraia em nada.

Num resumo bem básico, Publicidade e Marketing não se "casavam" muito bem. Mas de uns tempos para cá tenho visto que a agência não é mais aquele universinho paralelo, onde se ouve folk no Mac e sai pra almoçar num lugar legal todo dia com seu grupinho tchururu. 

É muito mais e tornou-se um ambiente de homens e mulheres mais antenados do que já eram, precisando sempre afiar suas visões lá na frente, com foco em resultados.


Já o marketing, para mim, tem tornado-se algo bem mais flexível, acessível e uma técnica, que com boa vontade e desenvolvimento de talento, os simples mortais podem alcançar.

Acabou que a técnica incisiva e dura está tomando forma de profissão humanizada, tocável (Mkt) e o mundo legal, quase oba-oba precisou se vestir de coragem e foco de negócios para se manter estável e alcançar seus objetivos (Publicidade).

Isso que escrevi não é baseado em fatos super reais (apenas nas minhas impressões) e nem em verdades absolutas ("Apenas os idiotas tem certeza absoluta" Professor Girafales...rsrsr)...é exatamente isso que quero estudar mais, me aprofundar...esse marketing que se abre e estuda a inovação, o "think out of the box" que é tão famoso (e de tão repetido, muita gente nem deu mais bola, virou carne de vaca, mas é muito importante continuar fazendo e pensando fora da caixa), a humanização dos negócios, sem perdê-los.

E disso eu gosto, saber que eu me encaixo em algum lugar...não quero mais e nem sou apenas aquela menina que começou a faculdade de publicidade querendo ser uma das pessoas da dupla (posso estar muito errada, mas depois de algumas agências que trabalhei, a panelinha não permite que serem vindos de fora façam parte desse mundo "fantástico de Bob", logo é retirado. espero que tenha mudado, esse período que estou fora), mas eu tb achava inalcansável ser uma menina "engravatada", trabalhando na dureza aparente do marketing, onde tudo que eu veria seriam enormes planilhas sem coração e choraria todo dia ao voltar pra casa por detestar o que estivesse fazendo. 

É isso, por hora acho que a inovação veio me salvar, me dar a mão e trazer essa redescoberta de mim mesma e de onde quero chegar, não apenas porque preciso de um "ganha pão", mas porque eu ame o que estiver fazendo, sem dor, sem sofrer e sabendo que sim, me lembrarei daquela frase famosa (da qual agora não me lembro o autor) "Faça o que você gosta e a vida toda você nunca trabalhará"

Beijos, Ci

Comentários