domingo, 29 de dezembro de 2013

Você conhece a Peppa Pig?

Um comentário:
Pois é caras e caros leitores, essa é a pergunta que faço hoje...

Pode soar destoante com meu blog, mas não é...sou mãe de uma mocinha de 2 anos e 7 meses, muitos de vocês sabem.

E também porque a Peppa Pig vem para mães e pais que precisam de um aliviozinho da "Popó". Claro, não estou comparando e nem desmerecendo as qualidades da Galinha Pintadinha...

Mas às vezes queremos cantarolar no chuveiro, na rua, na chuva, na fazenda e numa casinha de sapé, outra música que não seja "A Galinha Pintadinha e o Galo Carijó, a Galinha usa saia e o Galo Paletó..." e a Peppa Pig é uma excelente opção para prender a atenção das crianças também e diversificar. 

O desenho é inglês (eu achava que era francês) e não tem repertório musical, apenas historinhas do dia a dia da Peppa, com seu Papai Pig, sua Mamãe Pig e seu irmão George Pig (e demais membros familiares...vovó, vovô, amigos, professora...o universo de relacionamento de crianças pequenas).



Há o parque e todo o comércio em volta da Peppa Pig no exterior. Vamos aproveitar para entreter nossas crianças com um desenho pura e simplesmente pelo que é, que está (por enquanto) livre de todo o comércio e bombardeios de propagandas aqui no Brasil.

Em tempo: sinceramente...mudando de assunto "Peppa Pig", mas continuando no assunto "personagens infantis", acho desnecessárias bonecas e brinquedos que representem vampiros, bruxas e toda essa gama de coisas que em nada a crescentam na boa formação de uma criança, de uma menina. 

Acho ofensivo um caixão como cama de uma boneca e por ai vai... (me pergunto, quem teve a idéia de jericó de criá-las...estou falando das Monster High...acho um desserviço e tento deixar a Malu o mais longe possível de brinquedos e bonecas desse tipo).

Fiz Magistério e mesmo não seguindo na profissão, essa formação ficou em mim e é impossível não me basear nela para criar minha filha. Presto atenção em tudo, é inevitável.

Beijo mães e pais e boa sorte na escolha dos desenhos e entretenimento para seus pequenos e pequenas,

Ci

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

A biblioteca "secreta".

Nenhum comentário:
Nesse ano fiz Pós, já contei pra vocês e blablabla whiskas...mas uma das melhores coisas que me aconteceram foi "descobrir" que eu podia (e posso ainda) pegar livros emprestados da biblioteca da faculdade, mesmo não sendo mais graduanda e estudando em outro prédio da instituição.

E imagina uma pessoa feliz...rs

Um dos melhores livros que peguei emprestado foi o "100 anos de moda", que eu ia comprar na Bienal do ano passado, mas estava com muita sacolinha e desisti. Dai ele me "acha" na biblioteca.







Assim que eu tiver tempo (de verdade) pra pensar em outro assunto, que não seja meu artigo científico, vou comprar esses e outros sobre moda, que me apeguei... =)

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Os sonhos me tiram o sono.

Nenhum comentário:

Porque sonhar acordada me dá uma ansiedade que não me deixa dormir.

Meu coração acelera, minhas idéias vêm à tona...quero escrever tudo pra não esquecer nenhum detalhe, quero acordar logo pra viver o que sonhei.

Mas a noite é longa e os sonhos deveriam apenas me aquietar e me deixarem saber que um dia eles já estarão acontecendo.

Quando eu acordar...

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Parece dezembro, de um ano dourado.

Um comentário:
E é dezembro (de novo!)...mas pra mim não é uma repetição e também, isso estou contando em off - rola contar em "off" na internet?...rsrsrs - não sou das pessoas aficcionadas e enlouquecidas pelo Natal. Recebo o Natal com tranquilidade e com o significado que ele tem, do nascimento de Jesus. 

Em resumo...o Natal está no lugar dele, Ok. O ano novo está no lugar dele, Ok. Talvez eu não viva essa euforia de dezembro por ser um mês introspectivo, de reavaliação...novamente eu falo, não por causa do ano novo. Mas por causa da minha idade nova, que completo um dia antes do calendário ficar novo, pro novo ano.

Além disso, estou tranquila (apesar de ainda muiiito cansada, mas graças a Deus consegui fazer a Pós que eu estava planejando há muito tempo) porque falta menos de 1 mês para acabarem minhas aulas. 

Dai só vejo a universidade em janeiro - acreditem, não tive férias em julho, como quase toda criaturinha que se enfia no covil acadêmico...rs, sim, foi direto.

E voltando para o início de dezembro, gosto desse mês inclusive por causa de uma música do Tom Jobim, a música"Anos Dourados". 

Tá, a música não é sobre esse mês, mas ela foi marcante na minha infância, por ser do seriado de mesmo nome e porque a música tocava na abertura, que tinha toda uma vibe anos 50, era perfeita, e que eu amo desde sempre (minha vó Laudina dizia que eu sempre andei com muita gente "velha", não é desrespeito meu, é o que ela dizia "você só anda com a gente, com esse bando de gagá" rsrs, talvez por isso que eu gostasse de cantores, costumes e tudo antigo).

Nesse meu relato de amor ao mês de dezembro é como dou as boas vindas à um dos meses que eu mais gosto.


"...Parece dezembro
De um ano dourado..."

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Uma reflexão sobre meu blog de moda e sobre escrever sobre o tema.

Nenhum comentário:
Uma reflexão sobre meu blog de moda e sobre escrever sobre o tema...

Meu bloguinho Olhar na Moda...o criei num momento que acreditei fazer sentido compartilhar o que eu conhecia/conheço sobre o tema e que me faria bem. Ele nasceu também para me auxiliar e ter uma atividade enquanto eu não tinha nenhuma atividade de renda. E também quando surgiam os blog´s de moda, por acaso ou não na época que estavam pipocando as It Girls.

Hoje em dia muitas pessoas sabem que quem escreve o blog (não em todos, mas em muitos blog´s) recebe (e muito bem) para falar bem de determinado produto. Eu nunca recebi nenhum centavo, nenhum sequer, para falar sobre os produtos que testava. E ai, eu penso, no que me valida dar uma opinião própria, se quem faz sucesso são pessoas que milhões de meninas acham que estão falando a verdade e a "gata" está recebendo pra falar bem?

Outra coisa que me cansa um pouco (e me desestimula muito) são as compras de seguidores nas redes sociais. Como vou saber diferenciar se essa ou aquela blogueira tem tantos seguidores porque escreve bem, tem algo interessante pra me dizer, que vale a pena ler seu blog ou que só está "bombando" porque pagou pra ter esse "sucesso".

Leio muitos blog´s, blog´s famosos, super comentados, ou alguns que tem como o meu, muitas visitas, mas as pessoas tem preguiça de comentar ou que muitas vezes não tem nenhuma visita (porque também acabo escrevendo quando posso)...então, sendo assim, concluimos que eu fiz o Olhar na Moda porque gosto do tema, não pra ser It blogueira.

Saber se vestir, nossas mães nos ensina desde pequenininhas(os), se é que você e o look do dia me entendem...

Você sabe que, no momento que comecei me pré-ocupar com a moda, comecei a me perder no jeito que eu me vestia?! Eu era a Cindy Fashion da escola, porque me vestia com originalidade, mesmo tendo que encarar um uniforme igual a de milhares de estudantes do 2º grau, dai de repente (e dois anos depois de uma gravidez, que também ajudaou nessa descaracterização de estilo...porque na maioria das vezes eu usava bata ou a blusinha que me cabia..rs).

A gente não pode deixar que as modas ditadas, os números gigantescos de visitas e mais um monte de coisas nos separe de nós mesmas(os).

Li que os blog´s de moda estão caindo da moda...controverso, né?! E me dá uma enorme vontade de fechar/cancelar o meu até passar essa onda e eu não ficar mais perdida em tantas ditaduras que aparecem diariamente, do top croped (pra quem só come alface e bebe água), do salto creeper (pra quem não tem mais onde gastar dinheiro, porque ele é horroroso demais), do caveirismo (vida e alegria, por favor, né gente? caveira é de muito mal gosto), do bigode (essa sinceramente me desafia mentalmente a descobrir de onde apareceu. tipo, bigode?!), do jeans com jeans (sempre usei e nunca passei mal, nunca sai desarrumada...reinventaram o negócio como se fosse o último grito) e tantas outras regras que aparecem diariamente.

E quer saber? Gosto de moda sim, mas ninguém vai mandar nas minhas blusas de oncinha e nas minhas bermudas de alfaiataria, nas minhas sapatilhas e nas minhas bolsas kawaii ou de senhorinha.

Não posso deixar de falar de quem quis se "enfiar" nesse meio como jornalista sem ser e fingiu ser...eu nunca neguei que sou publicitária (Redatora) e gosto de tendências, de moda, de estilo...mas nunca quis passar por jornalista. Eu, nesse período que tenho escrito, sempre fui a Cintya, editora do Olhar na Moda, o que não me faz jornalista, porque NÃO sou diplomada nisso e sim, meu diploma é em Publicidade e Propaganda. Editora, para que fique claro, é aquela que edita textos e não que é específicamente jornalista.

Bom, essa conversa eu precisava ter comigo mesma e fico feliz se você a leu...rs. 

Ás vezes é preciso abrir o armário e tirar as revistas, os papéis, as idéias, as ideologias antigas, que não nos servem mais, que estão rabiscadas, amassadas...é isso. Faz muito bem, sempre repito isso.

sábado, 15 de junho de 2013

Que não deixemos que roubem mais flores dos nossos jardins.

Nenhum comentário:
Escrevi, num post anterior, sobre algumas pessoas terem saudade de tempos passados, mas a saudade do generalismo o qual eu falava nesse post era de outra forma, era algumas pessoas deixarem-se manipular pelas "ditaduras do dia a dia". 

Nesses dias que passaram, temos visto (e muita gente vivido), aqui em SP e pelo mundo afora, manifestações contra o aumento da passagem do ônibus. Mas é um tema mais profundo, o valor alto da passagem foi a "gota d´água" das imposições que sofremos diariamente. E dentro desses acontecimentos, agora, além de reinvindicarem nossos direitos, os manifestantes civís precisam se proteger da violência que sofrem por parte da polícia.

Ok, a maioria das pessoas, que geralmente são as mais afetadas pelos desmandos, estão tentando chegar em casa depois de um dia exaustivo de trabalho, e não estão lá nas manifestações. Mas pessoas, de várias vertentes têm se mobilizado para fazer essa voz de quem precisa.

Não concordo com a violência, não concordo com o vandalismo, não concordo com a bagunça, mas alguém (um grupo) tem que se levantar e gritar, clamar pela justiça e pelos direitos que se tem. 

A impressão que eu tive (como não-manifestante ativa, no sentido de não ter ido lá nas passeatas), assistindo pela tv, é que foi uma bagunça generalizada nas ruas, dos dois lados.

Mas a gente sabe (ou deveria saber) que a mídia aumenta n centenas de vezes o que está acontecendo e dai a polícia parece carrasca (não estou dizendo que não é ou que é, estou falando sobre o aumento das ações mostradas na tv) e os manifestantes parecem loucos sem rumo, pichando e quebrando coisas e não marchando pelos direitos de um bem comum (também não estou dizendo que sejam, repetindo, é o que eu, como telespectadora, vejo). 

Se eu (e milhões de colegas de Comunicação Social e outras cadeiras acadêmicas), que estou (estamos) a todo tempo pensando sobre a situação, analisando, como será que chegam essas notícias para as pessoas leigas, não desinformadas, mas que não estão a todo tempo verificando as informações como "ossos do ofício"?

Esse post foi só um início escrito para a minha reflexão sobre a situação, só isso...te convido a refletir comigo também...vamos falar sobre nosso erros e acertos e quem puder e tiver dispósição para "lutar" pelo bem comum, que vá...ás frentes de passeata, pelas redes sociais, auxiliando (quando numa luta legítima, justa, limpa, sem baderna) da forma que puder.




Agora um poema (desculpa, mas a frase foi pra dar uma mini descontraída nesse post super sério):

"Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada." 

(Eduardo Alves da Costa - No caminho com Maiakóvski)


quinta-feira, 13 de junho de 2013

A "quase com remorso" da ZN

Nenhum comentário:
Então...só complementando o post anterior (ou não)...recebi uma proposta de trabalho, e ia pessoalmente hoje saber no que deu...

Mas não dormi direito e pela manhã fiquei enrolando pra levantar e me arrumar.

Motivo tem nome e sobrenome e uma carinha linda de preta japonesa...Maria Luisa. Sim, não acho justo desbravar o mundo, a carreira e o mundo do business sem antes organizar a vida da minha filhica.

Mas isso estamos organizando por aqui, a escolinha que escolheremos para ela (sim, caros leitores e leitoras...antes de me dar faniquito e desespero por estar em casa).

Uma vez, uma amiga queridíssima, a Yara, me disse uma coisa muito importante...que agora sou mãe e que há um tempo para ser integralmente e eu super me identifico.

A infância, a qualidade de vida, os cuidados, as novidades da idade, só terei uma chance para fazer, ver e acompanhar de perto (como eu disse no post anterior, mesmo que numa creche bem próxima ao local que eu trabalhe)

É isso...amo estudar, amo conhecer gente interessante, amo conhecer lugares bacanas...mas minha prioridadesíssima é ela, é minha família. Tenho dito! =)

Não de repente...

Nenhum comentário:
Um dia, não de repente, algo mudou dentro de mim...e eu acreditava querer ter uma profissão específica, mas, lembrando, sem repente algum, mudou essa vontade antiga...a área continua a mesma, comunicação, mas o campo de atuação é outro.

Quando eu era adolescente (na minha época, 12 anos era criança) eu comecei fazer uma pasta com matérias sobre publicidade. Dai, enquanto fazia faculdade, uma amiga me indicou os cursos no Senac, fiz alguns e o que mais me identifiquei foi Redação Publicitária e Criatividade.

Foi o que estudei na faculdade, o que tentei me firmar, mas estudar Comunicação e Marketing na especialização ampliou as coisas que eu achava bacanas...as coisas mudaram, mas sem tristeza nenhuma, sem dor...só vi que mudaram. De uma profissão específica, mais restrita para um leque de opções que posso me especializar cada vez mais.

Mesmo porque agora não sou mais aquela menina que fez USJT com 22 anos...hoje sou casada (já há três anos) e mãe de uma garotinha de 2 anos. Até os objetivos mudaram...e sem dúvida alguma, hoje não mais me é suficiente sair com o vento batendo no rosto, ganhar meu dinheirinho, ser tchururu (descoladinha). Meus pés estão no chão e a necessidade de ter minha filha perto de mim (com um local de trabalho que me ofereça isso, uma creche in loco, dentro da empresa, tornou-se algo quase que sem negociação de troca), para eu saber, quando puder, se ela está bem mesmo, para eu conhecer as pessoas que cuidarão dela e se precisar correr, eu estar lá perto.

Escrever, pelo menos de uma forma compreensível, é obrigação de qualquer pessoa, e isso eu amo fazer...escrever, para mim, é reoganizar a vida dentro de mim, é colocar as loucinhas em todas as prateleiras dentro da minha cabeça, me faz até respirar melhor. =) não é sendo uma comunicadora de outra área que isso vai ficar de lado, nem meu blog.

Por hoje é isso...queria compartilhar essa reorganização de objetivos e reorganizar em mim, escrevendo. Bjoo


segunda-feira, 27 de maio de 2013

Obrigada pelos peixes!

Nenhum comentário:

E lá vamos nós (eu), dormir com meus gostos profissionais pedindo para que eu decida por um deles, again and again and again...rs

Estou em fase de envio de currículos, depois de 2 anos sabáticos como mãe da Malusita, e quando acho que tenho plena, completa, irrestrita e eterna certeza de que serei feliz e tranquila sendo uma executiva (um dia) trabalhando numa empresa mais séria, centrada, focada, trabalhando de terninho e scarpin, fazendo trabalhos para a Pós, descubro a "maravilha dos baixadores de vídeos do Youtube" e me divirto fazendo uma super pasta com comerciais, pra mim...

E com esse novo hobby me lembro, assim, meio que por acaso (então, como se eu não pensasse nisso dia e noite, noite e dia e ás vezes de madrugada e pela manhã também...rs) os motivos emocionais, funcionais, Visão, Missão e Valores (totalmente aulas...ignorem, estou no pique da facu...rs) pelos quais escolhi fazer Publicidade e Propaganda. Minha pasta na qual coleciono recortes de revistas falando sobre Publicidade, desde meus 12 anos de idade é um dos bons motivos que trazem a minha lembrança os porques.

Bom, como essa "questã" não tem um desfecho agora, deixo meu boa madrugada para quem lê e um bom de um "Significa..." para mim mesma. (como dizem, ou como gosto de falar, como dizia minha avó - e ela dizia isso mesmo - "o pior cego é aquele que não quer enxergar"...)

Beijo, Ci

P.S.: O porque do título do post? Alusão ao 4º volume da séria "O guia do mochileiro das galáxias"...nada em especial...achei que esse post, por falar de redescoberta, se acomodaria nesse título, já que esse volume do livro fala exatamente sobre isso...o cara que passou anos e mais anos no espaço, volta e tem que redescobrir o mundo que ele vivia e até então ele achava que havia explodido. Ah, olha...acabou fazendo sentido (pelo menos, sentido razoável para um post ás quase 2h30 da madrugada, vai?! rs)

segunda-feira, 29 de abril de 2013

"Namore uma garota que lê ( by Rosemarie Urquico)

Nenhum comentário:

Vi na fan page do Facebook "Eu amo ler"

"Namore uma garota que lê ( by Rosemarie Urquico)

Namore uma garota que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Ela também tem problemas com o espaço do armário, mas é só porque tem livros demais. Namore uma garota que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca desde os doze anos.Encontre uma garota que lê. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido na bolsa. Ela é aquela que olha amorosamente para as prateleiras da livraria, a única que surta (ainda que em silêncio) quando encontra o livro que quer. Você está vendo uma garota estranha cheirar as páginas de um livro antigo em um sebo? Essa é a leitora. Nunca resiste a cheirar as páginas, especialmente quando ficaram amarelas.Ela é a garota que lê enquanto espera em um Café na rua. Se você espiar sua xícara, verá que a espuma do leite ainda flutua por sobre a bebida, porque ela está absorta. Perdida em um mundo criado pelo autor. Sente-se. Se quiser ela pode vê-lo de relance, porque a maior parte das garotas que leem não gostam de ser interrompidas. Pergunte se ela está gostando do livro.Compre para ela outra xícara de café.Diga o que realmente pensa sobre o Murakami. Descubra se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entenda que, se ela diz que compreendeu o Ulisses de James Joyce, é só para parecer inteligente. Pergunte se ela gostaria de ser a Alice.É fácil namorar uma garota que lê. Ofereça livros no aniversário dela, no Natal e em comemorações de namoro. Ofereça o dom das palavras na poesia, na música. Ofereça Neruda, Sexton Pound, E. E. Cummings. Deixe que ela saiba que você entende que as palavras são amor. Entenda que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade, mas, juro por Deus, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco como seu livro favorito. E se ela conseguir não será por sua causa.É que ela tem que arriscar, de alguma forma.Trate de desiludi-la. Porque uma garota que lê sabe que o fracasso leva sempre ao clímax. Essas garotas sabem que todas as coisas chegam ao fim. E que sempre se pode escrever uma continuação. E que você pode começar outra vez e de novo, e continuar a ser o herói. E que na vida é preciso haver um vilão ou dois.Por que ter medo de tudo o que você não é? As garotas que leem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem.Se você encontrar uma garota que leia, é melhor mantê-la por perto. Quando encontrá-la acordada às duas da manhã, chorando e apertando um livro contra o peito, prepare uma xícara de chá e abrace-a. Você pode perdê-la por um par de horas, mas ela sempre vai voltar para você. E falará como se as personagens do livro fossem reais – até porque, durante algum tempo, são mesmo.Você tem de se declarar a ela em um balão de ar quente. Ou durante um show de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Ou pelo Skype.Você vai sorrir tanto que acabará por se perguntar por que é que o seu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Vocês escreverão a história das suas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos mais estranhos ainda. Ela vai apresentar os seus filhos ao Gato do Chapéu e a Aslam, talvez no mesmo dia. Vão atravessar juntos os invernos de suas velhices, e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto você sacode a neve das botas.Namore uma garota que lê porque você merece. Merece uma garota que pode te dar a vida mais colorida que você puder imaginar. Se você só puder oferecer-lhe monotonia, horas requentadas e propostas meia-boca, então estará melhor sozinho. Mas se quiser o mundo, e outros mundos além, namore uma garota que lê.Ou, melhor ainda, namore uma garota que escreve"

( essa é a versão original em inglês:DATE A GIRL WHO READS by Rosemarie Urquico 

Date a girl who reads. Date a girl who spends her money on books instead of clothes. She has problems with closet space because she has too many books. Date a girl who has a list of books she wants to read, who has had a library card since she was twelve.Find a girl who reads. You’ll know that she does because she will always have an unread book in her bag.She’s the one lovingly looking over the shelves in the bookstore, the one who quietly cries out when she finds the book she wants. You see the weird chick sniffing the pages of an old book in a second hand book shop? That’s the reader. They can never resist smelling the pages, especially when they are yellow.She’s the girl reading while waiting in that coffee shop down the street. If you take a peek at her mug, the non-dairy creamer is floating on top because she’s kind of engrossed already. Lost in a world of the author’s making. Sit down. She might give you a glare, as most girls who read do not like to be interrupted. Ask her if she likes the book.Buy her another cup of coffee.Let her know what you really think of Murakami. See if she got through the first chapter of Fellowship. Understand that if she says she understood James Joyce’s Ulysses she’s just saying that to sound intelligent. Ask her if she loves Alice or she would like to be Alice.It’s easy to date a girl who reads. Give her books for her birthday, for Christmas and for anniversaries. Give her the gift of words, in poetry, in song. Give her Neruda, Pound, Sexton, Cummings. Let her know that you understand that words are love. Understand that she knows the difference between books and reality but by god, she’s going to try to make her life a little like her favorite book. It will never be your fault if she does.She has to give it a shot somehow.Lie to her. If she understands syntax, she will understand your need to lie. Behind words are other things: motivation, value, nuance, dialogue. It will not be the end of the world.Fail her. Because a girl who reads knows that failure always leads up to the climax. Because girls who understand that all things will come to end. That you can always write a sequel. That you can begin again and again and still be the hero. That life is meant to have a villain or two.Why be frightened of everything that you are not? Girls who read understand that people, like characters, develop. If you find a girl who reads, keep her close. When you find her up at 2 AM clutching a book to her chest and weeping, make her a cup of tea and hold her. You may lose her for a couple of hours but she will always come back to you. She’ll talk as if the characters in the book are real, because for a while, they always are.You will propose on a hot air balloon. Or during a rock concert. Or very casually next time she’s sick. Over Skype.You will smile so hard you will wonder why your heart hasn’t burst and bled out all over your chest yet. You will write the story of your lives, have kids with strange names and even stranger tastes. She will introduce your children to the Cat in the Hat and Aslan, maybe in the same day. You will walk the winters of your old age together and she will recite Keats under her breath while you shake the snow off your boots.Date a girl who reads because you deserve it. You deserve a girl who can give you the most colorful life imaginable. If you can only give her monotony, and stale hours and half-baked proposals, then you’re better off alone. If you want the world and the worlds beyond it, date a girl who reads.Or better yet, date a girl who writes)

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Eu sei quem eu sou...você sabe quem você é? Perguntou a Alice (eu) ao Cheshire =)

Nenhum comentário:

É sério...não sou vintage, no máximo gosto de costumes, músicas, roupas e mais um monte de coisa antiga...isso talvez não seja o suficiente para eu ser vintage.

Não peso 70 kilos e as roupas de antes da gravidez vão ganhar novas donas #whocares

Tenho o cabelo #cresposim, mas lambido...não sei se saberia usar blackão, dai no meio do dilema, escorri ele de vez.

Fico pensando em 1 milhão de profissões que eu poderia exercer, mas como até comentei num post, não sei se faço direito escrever, mas é o que não me vejo sem.

O resto, talvez seja um capricho, um desvario feliz...blog de moda, achar q serei feliz no marketing (sou agitada e tênis All Star demais pra esse mundo...rs), me estressar por bobagem (ás vezes dar umas xilicadas ajuda desopilar, ás vezes funciona mais q rir, acredite.), ficar me enrolando pra ler todos os livros q ainda quero...capricho, preguiça, falta de semancol..

Num micro resumo, parte do meu mundo está vivendo em meus pensamentos, como uma carta não postada, mas que a qualquer momento pega selo e vai cumprir sua missão. A outra parte do meu mundo está aqui, grudadinho em mim, com o meu Mug e minha Tuquitas, minha Pós queridinha (e ás vezes cansativa), "meus amigos, meus discos e livros e nada mais..."

Dia desses ouvi uma pergunta que achei tudo e até anotei: "o que a vida espera de mim?"

Pois é...porque não apenas esperamos e exigimos muito dela, mas ela quer de nós. Não cobrança, mas florescer.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Eu estava com saudade do "meu" poema ♡ só por isso postei...

Nenhum comentário:

Para Uma Menina Com Uma Flor

Vinicius de Moraes

Para uma Menina com uma Flor

Porque você é uma menina com uma flor e tem uma voz que não sai, eu lhe prometo amor eterno, salvo se você bater pino, o que, aliás, você não vai nunca porque você acorda tarde, tem um ar recuado e gosta de brigadeiro: quero dizer, o doce feito com leite condensado.E porque você é uma menina com uma flor e chorou na estação de Roma porque nossas malas seguiram sozinhas para Paris e você ficou morrendo de pena delas partindo assim no meio de todas aquelas malas estrangeiras.

E porque você sonha que eu estou passando você para trás, transfere sua d.d.c. para o meu cotidiano, e implica comigo o dia inteiro como se eu tivesse culpa de você ser assim tão subliminar. E porque quando você começou a gostar de mim procurava saber por todos os modos com que camisa esporte eu ia sair para fazer mimetismo de amor, se vestindo parecido. E porque você tem um rosto que está sempre um nicho, mesmo quando põe o cabelo para cima, parecendo uma santa moderna, e anda lento, e fala em 33 rotações mas sem ficar chata.

E porque você é uma menina com uma flor, eu lhe predigo muitos anos de felicidade, pelo menos até eu ficar velho: mas só quando eu der uma paradinha marota para olhar para trás, aí você pode se mandar, eu compreendo.E porque você é uma menina com uma flor e tem um andar de pajem medieval; e porque você quando canta nem um mosquito ouve a sua voz, e você desafina lindo e logo conserta, e às vezes acorda no meio da noite e fica cantando feito uma maluca. E porque você tem um ursinho chamado Nounouse e fala mal de mim para ele, e ele escuta e não concorda porque ele é muito meu chapa, e quando você se sente perdida e sozinha no mundo você se deita agarrada com ele e chora feito uma boba fazendo um bico deste tamanho.

E porque você é uma menina que não pisca nunca e seus olhos foram feitos na primeira noite da Criação, e você é capaz de ficar me olhando horas. E porque você é uma menina que tem medo de ver a Cara-na-Vidraça, e quando eu olho você muito tempo você vai ficando nervosa até eu dizer que estou brincando. E porque você é uma menina com uma flor e cativou meu coração e adora purê de batata, eu lhe peço que me sagre seu Constante e Fiel Cavalheiro.E sendo você uma menina com uma flor, eu lhe peço também que nunca mais me deixe sozinho, como nesse último mês em Paris; fica tudo uma rua silenciosa e escura que não vai dar em lugar nenhum; os móveis ficam parados me olhando com pena; é um vazio tão grande que as mulheres nem ousam me amar porque dariam tudo para ter um poeta penando assim por elas, a mão no queixo, a perna cruzada triste e aquele olhar que não vê.

E porque você é a única menina com uma flor que eu conheço, eu escrevi uma canção tão bonita para você, "Minha namorada", a fim de que, quando eu morrer, você, se por acaso não morrer também, fique deitadinha abraçada com Nounouse cantando sem voz aquele pedaço que eu digo que você tem de ser a estrela derradeira, minha amiga e companheira, no infinito de nós dois.E já que você é uma menina com uma flor e eu estou vendo você subir agora - tão purinha entre as marias-sem-vergonha - a ladeira que traz ao nosso chalé, aqui nessas montanhas recortadas pela mão de Guignard; e o meu coração, como quando você me disse que me amava, põe-se a bater cada vez mais depressa.

E porque eu me levanto para recolher você no meu abraço, e o mato à nossa volta se faz murmuroso e se enche de vaga-lumes enquanto a noite desce com seus segredos, suas mortes, seus espantos - eu sei, ah, eu sei que o meu amor por você é feito de todos os amores que eu já tive, e você é a filha dileta de todas as mulheres que eu amei; e que todas as mulheres que eu amei, como tristes estátuas ao longo da aléia de um jardim noturno, foram passando você de mão em mão até mim, cuspindo no seu rosto e enfrentando a sua fronte de grinaldas; foram passando você até mim entre cantos, súplicas e vociferações - porque você é linda, porque você é meiga e sobretudo porque você é uma menina com uma flor.

sexta-feira, 29 de março de 2013

Tem hora pra sermos criativos?!

Nenhum comentário:

Tem horário pra ser criativo(a)?

Eu achava que não deveria ter, mas me pego muitas vezes, nessas horas vazias, que muitas pessoas não estão dispostas a ler, mas sim apenas em descansar seus corpos do dia que veio e passou. Isso quer dizer que talvez meu horário de "criativar" seja esse, madrugadão...tudo suposição minha, leitor(a) =)

Mas cá estou, quase 3h da manhã e depois de ler, compartilhar algumas coisas, escrevendo, depois de bater uma vontade imensa de escrever, como aquela vontade de abrir a geladeira uma dúzia de vezes pra comer mais um pedacico daquela torta que deu vontade...ou só pra ver a luzinha de lá se acendendo mesmo.

E como eu ia falando, sobre horário pro "insight", apesar d'eu geralmente ser uma ser humana noturna, pelo menos pra escrever, acredito (sem certezas absolutas) que isso de vir a idéia coisas fantásticas, deveriam ser elementos que batessem e ficassem e fosse dando criativas idéias pra toda situação sem sal ou enrosco que a vida trouxesse e a gente não esquecesse no nosso horário produtivo.

Tô pensando, inclusive, nisso agora, escrevendo e pensando e reavaliando...talvez seja só impressão minha que eu seja criativa a essas horas escuras da noite...acho que meu pacotinho de pensamentos soltos vai se enchendo ao longo do dia e como um (se esse serzinho existir) gnominho, faça um depósito diário ao fim do dia, porque não teve tempo em outro horário.

Agora com licença, hora de me juntar a todos os simples seres, assim como sou e aproveitar as horas vazias para reabastecer-me das energias e deixar solidificarem-se as coisas que aprendi e em algum lugar transformei e que ás vezes, denomino de C.R.I.A.T.I.V.I.D.A.D.E. (P.S.: essa mini falta de modéstia deve ser o sono...rsrsr)

sexta-feira, 15 de março de 2013

De repente...AMOR PRÓPRIO.

2 comentários:
Oi

Eu queria falar uma coisa, que linka com outro assunto...mas vamos começar do começo...explico. rsrs

O assunto que eu quero conversar hoje com vocês, escrever pra quem precisar ler (não como lição, mas como um espelho de experiência) é amor próprio (e como ele livra a gente de relacionamentos ruins, da chatice com os outros e consigo, enfim, poupa a gente de um monte de rugas, choro, stress).

Pra começar o que tenho para dizer, eu tenho uma super dó de quem sofre por alguém...e parece coisa de livro, mas a gente sofre meeesssmoo. Tenho dó, primeiro porque provavelmente, se a outra pessoa te ama, não vai te fazer sofrer...e ligado a isso, em segundo lugar, tenho dó porque você mesmo(a) talvez tenha se perdido de si próprio(a).



Obs.: conversinha super rápida...passei por isso. E realmente não vale a pena, a única coisa que aprendi foi não querer passar por isso de novo. (nem vou contar o "causo" porque isso é dar ibope a quem não precisa receber créditos)

Então, como eu ia dizendo e comentei no parênteses anterior...perder-nos de nós mesmos é dar muita confiança, como dizia minha vó, dar ibope pra quem não tá nem ai pra vc e para de se enganar, amigue, se essa pessoa diz que não vive sem você, que precisa de um tempo, que te quer por perto, que você é uma excelente companhia, mas que não está com você, e era o que você queria...PARE MESMO DE SE ENGANAR...não é a pessoa certa.

É gostoso, é cômodo, é a coisa mais fácil do mundo, se encostar no "barranco", mesmo sabendo que ele pode cair a qualquer momento e é feito de lama...#prontofalei

Vocês devem conhecer aquela expressão que diz: "Querer que o mundo se acabe em barranco, pra poder morrer encostado(a)"

Mas vamos a praticidade...uma hora, vai desmoronar e em cima de você =( a facilidade de jogar nas costas dos outros as nossas ineficiências e responsabilidades é bem prático (ainda mais quando chamamos de amizade, de amor...não vale usar coisas tão grandiosas pra sua falta de coragem de ter algo que preste...vamô lá!)...mas nada produtivo, um dia a conta volta pra gente e pode estar bem alta.

Então já se prepara, enxuga as lágrimas, apaga todos, todos...eu disse TODOS os contatos da criatura inanimada do celular, do telefone de casa, da agenda fofa que tem fotos de vocês (aproveita e já rasga toda fotinho fofa e nada haver...encare, agora não tem mais nada haver, por mais lindas que sejam).




Digo, por experiência, como falei, que eu só consegui encontrar o amor da minha vida quando eu limpei o caminho (rasgando foto, apagando telefone e etc) de amores mais ou menos, paixões platônicas, romancinhos nada haver...

É aquela coisa...como você quer que seu Príncipe Encantado abra as portinhas lindas e meigas do seu coração, se atrás das portas tem um monte de cacareco dos sapos que passaram por ele, por seu coração? 

Ai não vai mesmo...e é isso. comece praticando a coragem, essa coragem de se libertar, limpar caminhos. Dai você já treina, porque num amor de verdade, é preciso coragem. Num amorzinho mequetrefe a gente se conforma com a aura de "tudo lindo, tudo belo" que não existe.

O resto (depois de toda a limpeza), e principal, é algo que você nunca imaginou viver e que vai te dar uma FELICIDADE plena (lembrando que Felicidade é o acúmulo de alegrias, não uma vida perfeita - e sem graça, sem realidade necessária). 



Isso vale pra quem fica guardando mágoa de todo mundo também, quem fica prendendo a vida do outro - ex namorados(as), parentes e etc (mesmo que com "amor" ou só com raivinhas mesmo), até de quem já partiu dessa...limpa a casa, que sempre vem coisa melhor, vem o que foi preparado pra você.

E dai...de repente...vem o AMOR PRÓPRIO!



quarta-feira, 6 de março de 2013

O email que tem haver...

Nenhum comentário:
Ontem recebi...um email que eu queria receber, antes mesmo de começar fazer Publicidade e Propaganda. E que tem tudo haver...dia feliz!

sábado, 16 de fevereiro de 2013

O gosto da gente

Nenhum comentário:
Estava agora pouco assistindo o Lulu Santos no programa do Ronnie Vonn (por causa do Lulu, um dos atistas/banda que eu amo desde sempre).



E pensei em diversos artistas que não gosto, inclusive bem famosos, adorados por uma quase unanimidade (levantando minha mãozinha...menos eu). Uma banda super famosa de rock daqui do Brasil, por exemplo, eu não suporto (não vou citar o nome, pra ninguém me encher a paciência. o post é um pensamento meu, não pra causar brigas) mas tem gente que compra cd, dvd e tudo mais até hoje...e também uma cantora de axé que muita gente gosta, mas que eu acho sem sal, sem açúcar e nem palmito (quem dizia isso era minha vó). Não é a que começa com a letra I, só digo isso, porque essa eu gosto demais...rsrsrs. Tem time, comida e por ai vai...

Por falar nela, minha avó gostava, por exemplo, do Dick Farney (que eu tb gosto bastante, dá uma procurada no Youtube pela música "Alguém como tu", super romântica), do Nelson Gonçalves, do Agnaldo Timóteo...coisas de avó, porque são do tempo dela (e que me alcançaram), mas mesmo sendo do tempo dela, de muito artista ela não gostava.

Dos meus gostos "antiguinhos", vovó gostava do Luiz Miguel cantando boleros (eu gosto dele cantando pop ou bolero). Sinto de leve (porque tenho saudade, mas a gente não pode impedir que as pessoas evoluam, se é que existe essa etapa) ela não ter tido tempo de conhecer Michael Bublé melhor, ia se apaixonar.

O que eu queria dizer nesse post é que, mesmo sendo contemporâneos, determinadas músicas e artistas agradam a certas pessoas e não a outras. Achar que todo mundo é obrigado a gostar do que a gente gosta ou querer "entuchar" esse gosto sem a pessoa dar a entender que pode gostar, é demais.

E me deu vontade de escrever também sobre esse assunto, assistindo o próprio Ronnie Von, que diz gostar de tudo, todo mundo é lindo, toda música é excelente...isso é ser gentleman ou puxar o saco das "unanimidades"? Significa?

Dizia um de meus escritores favoritos, que também era jornalista, Nelson Rodrigues: "Toda unanimidade é burra"

Já Sofocleto, um poeta peruano dizia que "A unanimidade é a opinião daquele que manda"

Será? Manda em quem ou em quê?

sábado, 9 de fevereiro de 2013

A primeira mudança é o cabelo...

Um comentário:
Estava cá eu, pensando "soltamente" rsrs e me veio a lembrança sobre as pessoas dizerem que cada vez que uma mulher quer mudar algo em si ou em sua vida, a primeira mudança é o cabelo...

Eu mudei, estou mudando o meu...mas ao mesmo tempo não estou, estou apenas deixando ele dar continuidade ao que é, sim, meu cabelo.

Vai ver que estou nessa regra do cabelo, mas de um modo que eu nunca havia pensado em termos de cabelo...a "não mudança" e continuidade talvez represente que em mim as coisas estão se ajeitando (assim como os meus quase cachinhos), mas não necessitam de mudança radical...acho que a decisão entre cabelo liso/cabelo natural representou também a minha reescolha de ideologia, porque minha fé em Deus, essa continua inabalada.

Nada que eu tenha tido que mudar de cor, cortar, alisar, puxar...parei de brigar com meu cabelo, com o caminho que escolhi.
Continuidade...é isso... "até o dia em que eu mudar de opinião". ;)
(O trecho de música é "Coisas que eu sei")

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Malu não quer comer...

Nenhum comentário:
Tem bastante tempo que não tenho dilemas que me tirem o sono, mas ultimamente a Malu tem estado difícil para comer. Gente, é um furduncio e já fiz papinha com músculo, com legumes, já dei feijão com arroz, suco e leite reforçado, balinha de polivitamínico, mas as vezes não adianta, ela não está afim...#deusnosajude

Dai todo mundo tem suas achologias para ver porque isso está acontecendo...é dente nascendo, será que é falta de vitamina?, você não sabe fazer papinha pra ela, essa menina tá com o braço muito fininho, você não dá comida na hora certa, ela vai ficar gripada...a maioria acusa, mas vir ajudar que é bom...(não posso reclamar, minha mãe dá uma super força e quando eu não sei mais o que fazer, ela aparece com uns ingredientes diferentes)

Encontrei hoje o site da Pampers, que dá várias dicas interessantes e uma das mais bacanas (ainda mais pro meu momento) é a sessão de alimentação do bebê e essa matéria, eu espero que me ajude e que espero que ajude a mãe que estiver nessa fase de "pânico" (que vai passar...rs)

"Porque a criança pequena não quer comer e o que você pode fazer

Por que a criança pequena não quer comer e o que você pode fazer Por: Suzanne Dixon, Pediatra, mestre em saúde pública A criança pequena, em geral, não é muito fã de comida. Depois do primeiro aninho, até os que antes comiam muito bem, começam a perder o interesse pela comida. Quando vão ficando mais velhas, desenvolvem fortes opiniões sobre o que deve ou não estar presente em seu prato. Como a alimentação é uma parte muito importante dos cuidados com a criança, a recusa em comer a refeição, que a mãe preparou com tanto carinho, dói. Nesses momentos, é importante ver a situação como um todo. A mãe está ensinando à criançahábitos alimentares que podem ajudá-la a se virar sozinha mais tarde. Tentar ver as coisas sob este prisma pode ajudá-la. Este comportamento é normal entre as crianças. Nesta fase, elas estão tentando deixar claro que querem ser independentes e que podem tomar conta de si. Além disso, seu corpo está passando por um padrão de crescimento que a aproxima da constituição física que terá no futuro. O bebê rechonchudo, de pais magros, começa a ficar mais parecido com o resto da família. Apresentamos os comportamentos esperados à mesa durante esses anos. Veja como lidar com eles.
 1 ano
 18 meses
 2 anos
 3 anos
1 ano
Depois de soprar a primeira velinha, é provável que seu filho fique mais interessado em aprender a andar do que em comer. Assim, seu interesse pela comida despenca. Ele está ocupado demais para desperdiçar um tempo enorme comendo. Mas isso é normal. O ritmo de crescimento da criançadiminui no segundo ano e seu apetite acompanha essa queda. Não se preocupe. A gordura adicional que ela acumulou no primeiro ano serve de combustível para toda essa movimentação. No entanto, nessa idade elas precisam de energia para se manter de pé. Uma criança de um aninho pode ficar rapidamente sem combustível, tornando-se agitada e irritada. O ideal é que ela faça cinco ou seis pequenas refeições durante o dia, inclusive dois ou três lanches saudáveis. Alimente seu filho com pequenas porções, colocando mais comida no prato assim que ele terminar. Um prato muito cheio é um convite à desistência e à bagunça.
Sem tempo para comer Como é difícil fazê-la parar. Cada mordida é uma vitória para uma criança nessa fase. As calorias em alimentos sem grande valor nutritivo, como biscoitos, doces e sucos, são um desperdício do tempo e do apetite da criança.
Ofereça alimentos nutritivos durante as refeições regulares, mas não force acriança a comer. Crianças pequenas que dizem o quanto basta, desenvolvem hábitos alimentares mais saudáveis depois de adultas. Cabe a você oferecer alimento saudável e atraente regularmente. Cabe a ela decidir se quer ou não comer.
Fazer com que se sente à mesa na hora das refeições, por menos que coma, é importante para ensiná-la a hora em que elas são servidas. Nessa idade, acriança adora comer à mesa, com a família. Este é o momento perfeito para que ela aprenda a se socializar e para você ensiná-la a comportar-se à mesa. Se a criança resistir ou começar a jogar a comida para fora do prato, é porque já está satisfeita. Deixe-a sentada, dê um livro para ver, mas não ofereça mais comida, pois isso inicia uma batalha na qual você jamais sairá vencedora.
A grande bagunça Seu filho aprende muito quando "brinca" com a comida. Deixar a comida cair no chão, amassá-la entre os dedos e esfregá-la na mesa são maneiras de conhecer os alimentos e de aprender a gostar deles. Ele provavelmente ainda não sabe usar a colher direito. Não importa, dê-lhe uma colher. Nessa idade, a criança quer comer sozinha e você deve estimulá-la, por maior que seja a bagunça. Nessa fase, a criança também está aprendendo a usar o copo: mais uma vez, bagunça à vista! A melhor opção é aprender a conviver com a bagunça usando e vestindo materiais fáceis de limpar.
Dicas para as refeições Se o seu filho só quiser comer macarrão, por exemplo, procure o pediatra. Talvez seja necessário dar-lhe uma vitamina. Em geral, as crianças não precisam tomar vitaminas, mas se seu filho realmente se recusa a comer, a administração de uma vitamina talvez o faça se sentir melhor. Não dê vitaminas de adultos, elas podem ser tóxicas para crianças.
Comer no lugar certo Criar bons hábitos alimentares é sinônimo de comer sempre no mesmo lugar, como o cadeirão, na cozinha. Não é sinônimo de comer na frente da televisão, no quarto ou andando pela casa. A criança que come andando corre o risco de engasgar.
18 meses 
Aos 18 meses, seu filho precisa de menos comida do que precisava durante seu primeiro ano de vida. Surpresa? É sério. Seu ritmo de crescimento simplesmente diminuiu e outras coisas ocupam seu tempo. Nessa idade, acriança é muito seletiva em relação à comida. Não a force a comer, nem exija que ela raspe o prato antes de sair da mesa. Ela sabe o quanto precisa e, se não for pressionada, comerá a quantidade adequada. Forçá-la só provocará uma briga e você não sairá vencedora. Além disso, esse comportamento pode gerar distúrbios alimentares mais tarde.
Comilança e rejeição A comida do seu filho não precisa ser diferente da dos adultos. Basta servi-la antes de adicionar sal e temperos fortes. Não que ela vá, necessariamente, gostar do que os adultos comem. A criança, nessa idade, costuma se fixar em um único alimento e comer só isso durante dias seguidos. Isso é normal, portanto, não se preocupe. Se o alimento for nutritivo, não importa a freqüência com que ela coma. Mas não deixe de oferecer variedade, um pouco de cada vez, para que ela se acostume à aparência e textura dos novos alimentos. Em geral, é preciso oferecer o alimento umas dez vezes até que a criançao aceite. Por isso, não se aborreça nem se intimide com a primeira ou segunda recusa de seu filho em experimentar um determinado alimento.
  • Não tente usar o alimento como recompensa. Se seu filho começar a comer só para agradá-la, não estará comendo pelos motivos certos.
  • Não engane a criança para que ela coma. Isso inicia um jogo tolo que acaba alcançando níveis totalmente irracionais. E não desenvolve hábitos alimentares saudáveis. Estudos revelam que essa atitude só leva a criança a comer menos e nada mais.
Lembre-se de dar ao seu filho diversas oportunidades de se alimentar. Ele está pronto para treinar o uso da colher e do copo. Evite alimentos com os quais ele possa se engasgar, como uvas, nozes ou cenoura crua. Cachorro quente é um dos alimentos com que as crianças mais se engasgam! Corte a salsicha em pequenos pedaços, no sentido do comprimento, para não engasgar.
Verdades sobre líquidos Que quantidade de líquido seu filho deve beber? Em geral, a criança não precisa de mais de 180 ml de suco de fruta por dia. Os sucos reconstituídos são feitos basicamente de água e açúcar. Fruta fresca é a melhor opção. As crianças "viciadas" em suco têm padrões de crescimento insatisfatórios e correm o risco de desenvolver diarréia infantil, cáries e desequilíbrio nutricional.
Seu filho também não precisa tomar mais de 700 ml de leite por dia. O leite deve ser integral, não desnatado. Nessa idade, os ácidos graxos são essenciais ao crescimento e desenvolvimento do cérebro da criança.
Se ele ainda tomar mamadeira, comece a tirá-la. Um copo com canudo é uma boa alternativa se você não agüentar os derramamentos freqüentes. Não deixe que a criança leve o copinho para a cama. Não é bom para o sono nem para a nutrição e pode estragar os dentes.
Dicas para as refeições Aprenda a gostar da bagunça! Estimule a independência de seu filho de 18 meses deixando-o comer sozinho; assim, ele aprenderá a usar utensílios e xícaras. O babador ajuda a proteger as roupas da criança e você pode usar um tapete de plástico embaixo do cadeirão. Caso contrário, acostume-se à bagunça das refeições! E não se esqueça de trocar aquela roupa limpinha na hora da refeição.
Ao mesmo tempo, não tolere que seu filho jogue comida para o alto. Se ele já parou de comer e começa a jogar comida para o alto, é porque a fome já passou. Tire-o do cadeirão e não tente "empurrar" mais comida.
2 anos
Aos 2 aninhos, seu filho ainda não come muito, mas é extremamente observador. Por isso, pode estar apenas imitando você. Oferecer alimentos nutritivos e comer bem em sua presença são as duas melhores maneiras de ensiná-lo a se alimentar adequadamente. Mas tome cuidado para que ele não adquira seus maus hábitos. Agora seu ritmo de crescimento é menor do que era. Por isso ele não precisa de tanta comida quanto imaginamos. Além disso, ele gosta de escolher o que vai comer, onde, quando e em que prato. Pode optar por grandes "comilanças" de um único alimento e depois, sem mais nem menos, rejeitá-lo.
Não comece a brigar Se você aceitar esses hábitos, sem questioná-los, acriança acabará esquecendo. Entretanto, se insistir em fazer as coisas ao seu modo, só estimulará a batalha. Você jamais sairá vencedora. Basta oferecer alimentos nutritivos. Não importa se, durante algum tempo, ela só coma um determinado alimento. Não pergunte o que quer comer. É poder demais para uma pessoinha tão pequena. Você é quem escolhe. Lembre-se de que há diversas opções de alimentos razoáveis e atraentes para as crianças nessa idade.
Seu filho deve sentar-se à mesa para as refeições. As pessoas que comem sempre na mesma hora, no mesmo lugar, em geral são mais nutridas e têm melhor forma física. Desde cedo, crie esse bom hábito. Criança não deve comer no carro, na cama nem na frente da televisão. Se ela não gosta muito de leite, dê-lhe cálcio sob a forma de queijo ou iogurte. Elimine a mamadeira.
Brigas na hora da refeição! Se seu filho de dois anos recusa-se a comer tudo que você coloca à sua frente, vocês dois iniciaram uma guerra alimentar e, nesse caso, não adianta confrontá-lo. Experimente os seguintes métodos:
  • Tire-o da mesa e tente novamente em algumas horas, na próxima refeição.
  • Comece com um lanche nutritivo, como queijo, biscoito salgado ou uma fruta. Coloque em uma bandeja e junte-se a ele. Mas não fique olhando, esperando ele comer.
  • Se, mesmo assim, ele continuar se recusando a comer, tire-o novamente da mesa e pare de se preocupar. Criança saudável não morre de fome, nem mesmo nessa idade. Relaxe: ele estará pronto para comer na próxima refeição.
Pergunte à babá ou ao pessoal da creche quando e o que seu filho come durante o dia. Se a alimentação não for adequada, discuta com a babá ou com quem toma conta dele. Se a creche não puder oferecer o que seu filho precisa, ofereça-se para mandar as refeições de casa. Mas não se preocupe demais. As crianças aprendem a viver em ambientes diferentes e sua alimentação pode variar muito. Se possível, almoce com seu filho de vez em quando.
3 anos
Embora seu filho de três anos tenha idéias muito definidas sobre o que quer comer, a essa altura ele estará muito mais disposto a experimentar novos alimentos do que estava aos dois anos. Provavelmente gostará de alguns alimentos por causa de sua cor e forma e pode insistir em uma determinada arrumação da comida no prato. Além disso, gosta de ajudar na cozinha, desde que você seja paciente com suas limitadas habilidades. A relutância em aceitar alimentos apresentados de forma nova ou interessante, em um prato especial ou de forma inesperada, pode desaparecer. Portanto, chegou a hora de usar a inteligência e divertir-se junto com seu filho.
criança de três anos aprende muito sobre alimentação e socialização à mesa, com os familiares. Estudos mostram que crianças que fazem, pelo menos, uma refeição por dia com a família, têm um vocabulário melhor. Seu filho deve adquirir o hábito de fazer as refeições à mesa junto com o resto da família, não na frente da televisão. Desligue a televisão. A hora da refeição é sagrada. As refeições devem ser realizadas em horários regulares, sempre no mesmo lugar, na mesa da cozinha ou da sala de jantar.
Aos três aninhos, ela já está pronta para aprender boas maneiras à mesa. Ensine a dizer "por favor", "obrigado" e "posso?". Ela pode derramar um pouco de comida, mas não o prato todo. Pode e deve ajudar a colocar a mesa. Provavelmente, gostará dos hábitos e rituais das refeições em família.
Isto é, se você conseguir atraí-la à mesa. Nessa idade, a criança está tão ocupada brincando e não gosta de ser interrompida. Mas isso não é motivo para permitir que ela faça as refeições andando pela casa, com você atrás. Os alimentos fáceis de comer e de carregar têm alto teor de sal, gordura e açúcar. Não pergunte o que ela quer para o jantar. É muito poder para acriança. Cabe a você decidir o que fará para o jantar; cabe a ela comer. Não discuta com uma criança de três anos.

Aqui estão alguns pontos importantes que devem ser lembrados nessa fase da criança:
  • É muito comum a criança ter prisão de ventre. Em geral, a constipação é causada pelo excesso de laticínios e pela carência de frutas, vegetais e água. Se seu filho tem dificuldade para evacuar fezes endurecidas ou costuma ficar um ou dois dias sem evacuar, mude sua alimentação imediatamente. Se o problema não se resolver em um ou dois dias, ligue para o pediatra. Se o problema persistir, seu filho pode relutar em usar o banheiro.
  • Tome as medidas necessárias para tirar a mamadeira do seu filho, se ainda não tiver tirado. Nessa idade, a mamadeira pode causar danos aos dentes ou levar a criança a tomar leite ou suco demais, dificultando o aprendizado de hábitos alimentares adequados em casa ou na escola.
  • Não use alimentos como recompensa para o bom comportamento. Estudos mostram que este padrão acaba ocasionando a redução da quantidade de comida ingerida e longas batalhas. Recorra a outros métodos de recompensa, como os adesivos que as crianças dessa idade simplesmente adoram.
  • É uma boa idéia evitar alimentos como bala, chiclete, amendoim e nozes, que podem se alojar na traquéia da criança, sufocando-a.
  • Televisão não combina com refeição. Comer na frente dela faz com que seu filho desenvolva hábitos alimentares errados, além de prejudicar a interação familiar. A criança acaba sendo influenciada por comerciais que estimulam hábitos alimentares pouco saudáveis.
  • Tenha sempre em casa pão, biscoito salgado e macarrão. Eles podem funcionar como último recurso.
Dicas para as refeições Prepare minipizzas com seu filho! Coloque vegetais, carnes nutritivas ou até sobras do dia anterior por baixo do queijo derretido. Pegue uma fatia de pão, coloque os vegetais picados ou amassados, frango desfiado ou um ovo cozido cortado em pedacinhos. Coloque molho de tomate por cima e, por fim, queijo. Seu filho vai adorar essa pizza, principalmente se ajudar a prepará-la.
Use fôrmas de fazer biscoito para preparar sanduíches originais! Recheie-os com doce de leite, cream cheese, geléia, pasta de atum, carne ou ovo cozido. Deixe que seu filho corte o sanduíche na forma desejada; a diversão será ainda maior!"

{via Pampers}

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Perca o medo do Sucesso!

Nenhum comentário:

Existem pessoas que têm tudo para vencer, para serem notadas, para serem prósperas e que ficam acuadas, com medo. 

Para ter sucesso, é preciso perder o medo do sucesso. E, principalmente, manter firme a disposição para agir, realizar tudo até o fim, sem deixar de prestar atenção aos detalhes, de colaborar com os outros e de participar da comunidade.

Esteja sempre preparado para o sucesso. Perca o medo de vencer.

Pense nisso. Sucesso!


{Professor Marins}

domingo, 20 de janeiro de 2013

João 3:16

Nenhum comentário:

"Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna."

"Car Dieu a tant aimé le monde qu'Il a donné Son Fils unique, afin que quiconque croit en lui ne périsse point, mais qu'il ait la vie éternelle."

"For God so loved the world that He gave His only begotten Son, that whoever believes in him shall not perish but have eternal life."

"Porque tanto amó Dios al mundo, que ha dado a su Hijo unigénito, para que todo aquel que en él cree, no se pierda, mas tenga vida eterna."

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Receita de Batata Rústica

Nenhum comentário:

 :: Ingredientes ::
  • 2 Batatas lavadas
  • 1 colher de sopa de azeite
  • orégano
  • pimenta-do-reino
  • pimenta calabresa
  • sal
:: Modo de Preparo :: 
Preaqueça o forno em temperatura média.
Pegue as batatas e lave bem. Se possível, use uma escovinha para ajudar. Em uma tábua, corte a batata em quatro, sempre no sentido do comprimento. Se o gomo ficar muito grande, repita o procedimento até ficar na espessura que você preferir. Eu gosto mais gordinha para que fique macia por dentro.
Cubra uma forma com papel alumínio e deseje as duas colheres de azeite, sal e pimenta-do-reino e pimenta calabresa a gosto. Leve ao forno por 30 minutos, mas ao longo do processo vire as batatas para que dourem por igual. Sirva a seguir
Se você for do tipo não muto fã de comidas apimentadas, sugiro usar apenas a pimenta-do-reino, retirando a calabresa da receita.