sexta-feira, 15 de março de 2013

De repente...AMOR PRÓPRIO.

Oi

Eu queria falar uma coisa, que linka com outro assunto...mas vamos começar do começo...explico. rsrs

O assunto que eu quero conversar hoje com vocês, escrever pra quem precisar ler (não como lição, mas como um espelho de experiência) é amor próprio (e como ele livra a gente de relacionamentos ruins, da chatice com os outros e consigo, enfim, poupa a gente de um monte de rugas, choro, stress).

Pra começar o que tenho para dizer, eu tenho uma super dó de quem sofre por alguém...e parece coisa de livro, mas a gente sofre meeesssmoo. Tenho dó, primeiro porque provavelmente, se a outra pessoa te ama, não vai te fazer sofrer...e ligado a isso, em segundo lugar, tenho dó porque você mesmo(a) talvez tenha se perdido de si próprio(a).



Obs.: conversinha super rápida...passei por isso. E realmente não vale a pena, a única coisa que aprendi foi não querer passar por isso de novo. (nem vou contar o "causo" porque isso é dar ibope a quem não precisa receber créditos)

Então, como eu ia dizendo e comentei no parênteses anterior...perder-nos de nós mesmos é dar muita confiança, como dizia minha vó, dar ibope pra quem não tá nem ai pra vc e para de se enganar, amigue, se essa pessoa diz que não vive sem você, que precisa de um tempo, que te quer por perto, que você é uma excelente companhia, mas que não está com você, e era o que você queria...PARE MESMO DE SE ENGANAR...não é a pessoa certa.

É gostoso, é cômodo, é a coisa mais fácil do mundo, se encostar no "barranco", mesmo sabendo que ele pode cair a qualquer momento e é feito de lama...#prontofalei

Vocês devem conhecer aquela expressão que diz: "Querer que o mundo se acabe em barranco, pra poder morrer encostado(a)"

Mas vamos a praticidade...uma hora, vai desmoronar e em cima de você =( a facilidade de jogar nas costas dos outros as nossas ineficiências e responsabilidades é bem prático (ainda mais quando chamamos de amizade, de amor...não vale usar coisas tão grandiosas pra sua falta de coragem de ter algo que preste...vamô lá!)...mas nada produtivo, um dia a conta volta pra gente e pode estar bem alta.

Então já se prepara, enxuga as lágrimas, apaga todos, todos...eu disse TODOS os contatos da criatura inanimada do celular, do telefone de casa, da agenda fofa que tem fotos de vocês (aproveita e já rasga toda fotinho fofa e nada haver...encare, agora não tem mais nada haver, por mais lindas que sejam).




Digo, por experiência, como falei, que eu só consegui encontrar o amor da minha vida quando eu limpei o caminho (rasgando foto, apagando telefone e etc) de amores mais ou menos, paixões platônicas, romancinhos nada haver...

É aquela coisa...como você quer que seu Príncipe Encantado abra as portinhas lindas e meigas do seu coração, se atrás das portas tem um monte de cacareco dos sapos que passaram por ele, por seu coração? 

Ai não vai mesmo...e é isso. comece praticando a coragem, essa coragem de se libertar, limpar caminhos. Dai você já treina, porque num amor de verdade, é preciso coragem. Num amorzinho mequetrefe a gente se conforma com a aura de "tudo lindo, tudo belo" que não existe.

O resto (depois de toda a limpeza), e principal, é algo que você nunca imaginou viver e que vai te dar uma FELICIDADE plena (lembrando que Felicidade é o acúmulo de alegrias, não uma vida perfeita - e sem graça, sem realidade necessária). 



Isso vale pra quem fica guardando mágoa de todo mundo também, quem fica prendendo a vida do outro - ex namorados(as), parentes e etc (mesmo que com "amor" ou só com raivinhas mesmo), até de quem já partiu dessa...limpa a casa, que sempre vem coisa melhor, vem o que foi preparado pra você.

E dai...de repente...vem o AMOR PRÓPRIO!



2 comentários:

  1. Acho que ninguém está isento disso e abro ainda mais o leque. Minha filha tem 4 anos e uma coleguinha de classe vive dizendo que nao gosta dela. A quem minha filha mais presta atenção? Justamente a essa menina! Ontem a menina alisou o braço de minha filha, que é moreninha, e disse que aquela cor é bonita. Ela nao me contou alegre, mas com ar de estranheza, como se aquilo nao combinasse com "eu nao gosto de vc". ´É claro q sempre conversamos sobre essas coisas próprias da idade e procuro mostrar a metade cheia do copo. Quantas vzs nós, já adult@s, não sofremos com a rejeção de algum pseud@-amigo?

    ResponderExcluir

Comente! Gostaria de saber o que você pensa sobre o assunto =)