sábado, 27 de dezembro de 2014

Ótimo recesso de fim-de-ano!

Um comentário:


Boa noite!

Passando para avisar que o Teodorah entra hoje, 26/12/14 em recesso e retorna dia 05/01/15.

Mas continuo postando no meu Instagram: cintyanogueira. Segue lá!

Beijo e ótimo descanso (e aniversário pra mim, dia 30/12 =)) para todos e todas que seguem aqui.

Ci
Blog Teodorah

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Gabriel Medina e a felicidade da nação.

Nenhum comentário:
O "assunto da semana", o surfista Gabriel Medina venceu o Campeonato Mundial de Surf. Está super de parabéns, mas esse post é sobre um outro assunto, que tem tudo haver com essa vitória e sobre outras, especialmente no esporte.


O Brasil é um país tropical ("Moro num país tropical, abençoado por Deus, e bonito por natureza...mas que beleza" #tentelersemcantar) e esse talvez seja um dos motivos que estimule tanto o esporte em contato com a àgua, no campo, etc etc

E o Brasil (como toda nação) é um país que precisa de um "carinho" das ideologias que o represente e valide. Desde sempre ouvimos que o nosso país é do futebol, mas no ano que está acabando, mais uma vez esse esporte não validou o orgulho nacional pro mundo. Em português claro, foi uma vergonha, que ninguém gosta de lembrar.

Ai vem um esportista, que não era conhecido pela maioria e faz bonito, "veste e honra a camisa" do Brasil.

Mas ai que está...você conhecia o Gabriel Medina antes do burburinho e notícias dessas últimas semanas? Eu confesso que não conhecia, sou daquelas que vai à praia e a água pega no máximo no joelho e entrei (e sai) três vezes da natação...rs

Pois é, a maioria dos brasileiros que estão embarcando nessa vibração de vitória do Gabriel também não faziam idéia de quem ele era, mas essa vitória nos faz abraçar e compartilhar dessa felicidade. 

O sobrenome Medina me lembra Rock in Rio e antes dele ganhar hoje, era só.

E essas pessoas que vestem a camisa de brasileiro orgulhoso hoje, junto à ele, são aqueles brasileiros (todos nós) que precisam do carinho de se sentirem "úteis" para alguma coisa pra vitrine do mundo.

Porque sinceramente, a goleada e vergonha da Copa do Mundo pro Brasil e as brigas e fins de amizade graças às eleições desse ano (sem contar a vitória ou derrota que agradou à uns e desagradou à outros) não deixam felizes os brasileiros que moram nesse país tropical, que é bonito por natureza, mas precisa ser validado.

A identidade nacional volta a ter sentido e as pessoas voltam a encher a boca com alegria pra dizerem que são brasileiras. É o orgulho que o Senna , mesmo tantos anos depois de sua morte, ainda nos dá. 

Pra quem já era nascido antes dele partir e pra quem veio depois, porque ele tomava pra ele a "briga" de manter bonito o nome do nosso país, lá fora e principalmente para nós.

Porque mesmo que sendo raros esses momentos de felicidade coletiva, as dores da corrupção, da ladroeira, da falta de garra, dão lugar à um amor intenso e real que faz a gente ter vontade de lembrar pra todo mundo com quem cruzar que "o Gabriel Medina ganhou o campeonato de surf", nos fazendo "próximos" dele e próximos de uma nação feliz e respeitada. Ah, e claro...entendendo de surf "desde criancinha" =)

Beijo, 

Fonte da foto: 89 FM - Rádio Rock

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

[Receita Teodorah] Mexidão arrumadinho da Cintya

Nenhum comentário:
Na real, não é uma receita hoje, mas sim como preparei meu almoço, algo bem simples...

Só chegar o calor, fico com uma preguiça culinária, que é demais (faço as refeições da Malu e quando o Marcelo tb está em casa, faço pra gente...mas sou capaz de passar o dia sem comer se estiver sozinha)

Mas hoje, olhei a geladeira, com bastante fé e ânimo e resolvi pensar o que eu faria com alguns ingredientes que separei...e saiu um prato que eu chamei de mexidão, que é o que ele é...um mexidão arrumadinho =)


Pra iniciar, cortei tomate e salsicha, aqueci a frigideira e coloquei eles pra refogar. 


Sobre esses dois ingredientes coloquei um pouco da minha misturinha de sal marinho com ervas finas (mas pode ser sal comum com orégano também, não se "avexe" rsrs)


Ob.: Não coloquei nadinha de óleo, o tomate refogou na aguinha dele, junto com a salsicha.


Essa foi a salsicha que usei e que a gente compra aqui em casa pra lanche, a Sadia Hot-Dog.


Utilizei 3 ovos brancos para dar a liga.


E o "mexidão arrumadinho" foi ficando assim...


Usei as azeitonas verdes e o champignon já fatiados. Gosto dessas marcas porque eles já vem assim, pronto pra utilizar. Os champignons da marca Outback (não sei se tem algo haver com o restaurante) e as azentonas da Raiolita (que não são salgadas demais...isso é bom). 



E depois de cozinhar as salsichas (ah, utilizei 2) e os ovos, arrumei no meu prato o mexidão, e por cima completei com o champignon (a azeitona foi no cozimento) e com rolinhos de presunto parma. Utilizei o da Perdigão.


E assim ficou meu "mexidão arrumadinho"


Ficou muito bom =) pena que durou só no almoço.

Tadahhhh!!

Beijo, 













terça-feira, 16 de dezembro de 2014

La Fable Adorable, da Tok Stok.

Nenhum comentário:
Eu estou procurando uma agenda 2015, que a capa me agrade, que tenha sábado e domingo, cada um na sua página, que tenha páginas sem muito rococó, e dei uma olhada no site da Tok Stok. Adorei as agendas que mais me chamaram a atenção foi as do Ronaldo Fraga (estilista), mas uma das agendas mais fofas que tem lá é da linha La Fable Adorable, uma coelhinha bailarina (amo coisas de bailarina, ballet e afins).


A agenda aqui

Dai cliquei no link, pra ver o que mais tinha a coleção e fiquei apaixonada (até a página 2, porque é uma linha infantil...rsrs...e alguns ítens não tem pro meu tamanho, nem de pé, nem de quarto, por exemplo, os lençois são apenas solteiro e júnior e as pantufinhas, pelo menos pelo site, vão só até o tamanho 32)

Olha a coleção que lindeza, dá vontade de comprar tudo!!!

 Memory board e lousa

tigela para consomê

prato para bolo

cúpula de abajur

avental de pintura

tela decorativa

quadrinhos para pintar

calendário de mesa

almofada redonda

colcha

edredom

estojo

fronha

fronha

lençol

pantufa (olha ela ai...rs)

almofada passarinho

placa para porta

porta-recados

toalha

E mais uma imagem, agora grande, da agenda linda


É tanta coisa linda que só me faz amar ainda mais a Tok Stok. Sempre dá vontade de comprar tudo que tem lá.

Esse post não é press-release e nem publieditorial, é que eu queria dividir com vocês essa graça de linha pra decoração de casa que vi hoje.

E fica o pedido: Tok Stok, faz pantufa para pés 38, por favooorrr!!! =)

O link para ver tudo, com os preços está aqui: La Fable Adorable



Beijo, 



sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Black "Desespero" Friday.

Nenhum comentário:
O ano passou (arrastado, mas passou) e lá vem ela de novo, a Black Friday, o dia (ou semana) que é como um apagão dos preços e os fornecedores (lojas físicas e onlines) vendem seus produtos com grandes descontos (?! #sera)


Se não vendem, deveriam, porque já que é pra copiar os Estados Unidos, podiam copiar o cumprimento às regras também. 

Sobre os bons descontos...pois é, tem loja, "super esperta" que vende o ano todo um produto por $ 900,00. Daí chega o BF e no comercial coloca o produto com o valor de, por exemplo, $ 1.500,00 riscado e bem grandão os $ 900,00 (bola vermelha de palhaço no nariz do povo!).

Mas Ok...com todos os entretantos e poréns, pensei no texto para falar sobre comprar o que a gente não precisa, só porque está com aquele precinho irresistível. Mas pra quê? 

Tudo bem, você trabalhou arduamente o ano todo, está chegando seu 13º lindo e querido, mas...você precisa mesmo daquela super televisão 50 polegadas, que baixou o preço em $ 1.000,00 (ainda sobra milhares de zeros, só não esquece...rs) ou daquele espremedor de laranja que está uma super pechincha?

Sim! O dinheirinho suado e que anima sua conta é seu e você faz por merecer o super produto incrível e baratinho (!) que está adquirindo, ou os vários produtos e seus boletos respectivos.

Mas a vida continua e essa sua ansiedade e aflição desse 28/11 (ou da semana toda) vai apenas virar uma dívida que você precisará pagar ou um produto que nem vai parecer mais tão mega power daqui umas semanas.

Não sou pão-dura, mas compro só quando preciso mesmo (vai, às vezes me dou ao luxo de um "surto" pra comprar alguma coisa que eu "super preciso" mas é beeem raro...meu esposo que o diga), mas não fui sempre assim. Já acumulei muita coisa, de materiais de artesanato à sapatos, por pura ansiedade de gastar e aproveitar a promoção IMPERDÍVEL

Semana passada comprei um celular novo, mas porque o meu já estava pedindo socorro...rs. Mas procurei promoção dele e comprei um celular que eu sonhava há um tempo já.

Pois é...quando eu era criança, ganhávamos alguma coisa boa de verdade, ou no aniversário, no Natal ou se uma tia ou madrinha bondosa dava um presente sem um motivo. Mas hoje em dia, vira e mexe, as crianças ganham aparelhos eletrônicos e brinquedos turbinados, que ás vezes, nem a gente, que é adulto, sabemos mexer...mas isso é assunto pra outro post =)

Quero falar sobre o consumo consciente, que está na moda, e é uma coisa que se auto-explica e não deveria ser moda e fazer parte apenas de algum nicho social, mas ser espalhado, pra todo mundo conhecer, inclusive pras classes C, D e E que são as que mais se endividam.

A minha filha ganhou um porquinho, pra colocar moedinhas, eu comprei pra ela, pra ela saber que pode comprar balinha de frutas quando tiver dinheiro no porquinho e deveríamos ter todos, um porquinho desses e saber que o passo da nossa perna, em termos de gastos, iria até onde tivesse "grana no porquinho", algo assim.

A Natura lembra bem esse conceito do consumo consciente, com sua campanha da linha Sou, "pra quê eu preciso do que eu não preciso".

Então, compre sim, dinheiro não é pra guardar embaixo do colchão, igual ao pai da Tieta*, você trabalhou e merece usufruir, mas não torne o Black Friday em desespero pra você, gerando ansiedade pelas compras, ou dívidas, não torne o Black Friday em apagão na sua conta bancária e em arrependimento (geralmente os produtos comprados nesses dias não são reaceitos nas lojas).

Se a vontade de comprar, comprar, comprar for incontrolável, pare pra pensar o que falta pra você interiormente. Às vezes esse descontrole pode ser pra se exibir pra alguém, esconder alguma carência emocional, algo mal resolvido. Vai que...

Então, consuma conscientemente, não dê passos maiores que suas pernas e durma tranquilo(a).

Beijo,

Referências:

* O pai da Tieta guardava o dinheiro dele embaixo do colchão, e um dia que ele se lembrou e foi ver, o dinheiro todo tinha perdido o valor. Tieta do Agreste, publicado em 1977, de Jorge Amado, 

*A gravura que usei pra fazer o banner dessa postagem é o famoso quadro do norueguês Edvardo Munch e chama "O grito" e data do ano de 1895.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Qual a sua aspiração?

Nenhum comentário:
Qual é a sua aspiração? Você tem uma ou várias?

Você aspira trabalhar na empresa dos sonhos, ser mãe, tirar a carta de motorista, fazer faculdade, viajar pelo mundo?

Cada um tem uma aspiração, que pode ser pequena, média, grande e pra cada um tem um grau de importância.


Tem aspiração que tira meu sono de vez em quando, mas tenho me controlado, porque nada acontece antes da hora...e isso não é uma frase meramente popular, é real, é forte (sou cristã e acredito no significado espiritual que isso tem...mas ser humano é ser humano, né? Às vezes bate um xilique, um stress...rs).

Ir contra esse princípio é como ficar dando murro numa porta de aço. 
E se essa "porta de aço" ainda não abriu, é porque ainda não chegou o momento pra você chegar lá do outro lado, que pra você é tão importante.

A gente precisa tratar nossas aspirações com a delicadeza que trata o que mais ama, porque se é tão precioso, deve ser vigiado, cultivado, tratado bem...

Mas também acredito que não dá pra ser neurótico/a com isso, porque nós temos um plano, nossos olhos brilham por uma causa, por um objetivo, mas o que Deus tem pra nós pode ser algo bem diferente do que imaginamos e pode inclusive não ser aquilo que planejamos.

Os caminhos valem ser apena vividos com zelo, mas sempre lembrando que além da sua vontade, tem uma vontade Superior, que existem pessoas que gostam de acreditar que é um destino.

E além das nossas aspirações, existem as aspirações dos outros pra gente. Minha mãe aspirava que eu fosse fisioterapeuta...pois é, mas eu, que gosto de escrever e de falar (um pouco...rsrs) será que seria feliz seguindo o que outra pessoa, mesmo sendo minha mãe, tinha sonhado pra mim?

As aspirações eu acredito que é o caminho do meio entre o sonho e a realização...a aspiração não é só aquele sonho distante, de um dia, vou ser tal coisa, ou vou conquistar algo...a aspiração já é uma obstinação, é um foco e que claro, precisamos seguir. mas sem deixar de ter cuidado de lembrar do que já falei ali em cima...nossa vontade tem que fazer sentido, ser algo bom para nós e para nossa família e, "conversar" com o que pode se tornar realidade.

Não dá pra passar a vida toda, por exemplo, querendo escalar o Hymalaia, se morrer de medo de altura ou de aventura (só um exemplo pra ilustrar o que eu disse, claro, você pode se superar) ou passar a vida aspirando casar com o Beckham.

Não dá pra aspirar algo irreal e deixar escapar da sua vida a oportunidade de ser feliz com algo ao alcance das suas mãos. O tempo passa e a chance para ser feliz é agora, à cada minuto.

Além de sonhar, aspire...mais do que isso, vá atrás do que você quer, mas não se perca de você mesma(o), não se perca de Deus, não se perca da sua fé.

Beijo,



"Significado de Aspiração
s.f. Ação ou efeito de aspirar.
Figurado. Vontade imensa de conseguir alguma coisa; sonho ou ambição: aspiração por um futuro promissor.
Fonética. Barulho de fricção ocasionado pela passagem do ar pela glote (pregas vocais) que estão parcialmente abertas.
Mecânica. Mistura de ar e combustível que entra no cilindro de um motor de explosão; admissão. (Etm. do latim: aspiratio.onis)"

Fonte do significado de Aspiração: Dicionário de português
Referência bíblica: Eclesiaste 3

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Eu, mãe blogueira?!

Nenhum comentário:

Ontem fui à Bienal com a Luciana, minha amiga há 20 anos (!) e comprando livros pras nossas meninas (a dela, a Sarinhah e a minha Malu) ela insistiu para eu fazer um blog sobre maternidade. 

Mas eu disse que não me sinto à vontade para fazer um sobre o assunto, por diversos motivos: 

1. Muitos blog´s para mim soam transmitir uma "realidade" de comercial de margarina. Crianças (seres humanos em geral) são serezinhos em formação e difíceis de lidar. Mas aí vejo blog´s que parecem transmitir um mundo de conto de fadas. Ou deve ser mentira, algo como as pessoas quererem mostrar que o seu jardim é mais verde que o de todo mundo ou essas crianças ficam com as avós ou com as babás (será?!)

2. Existem pessoas que fazem do ser "blogueira" um comércio. Eu comecei a escrever blog em 2.000 (século passado...rs) e escrevia (como escrevo até hoje, por prazer). Será que eu seria feliz "vendendo" minhas opiniões sobre lugares e produtos?!

3. E ainda falando sobre o comércio, não seria algo demasiadamente mercenário ganhar dinheiro falando sobre uma pessoas que não me autorizou, mesmo porque nem sabe o que é um blog? Porque eu apenas teria um blog materno graças à Malu, então estaria "usando" o nome e ela mesma para descrever situações e fatos do cotidiano dela.

4. Estar exposta à opinião alheia sobre a criação, á alimentação e aos hábitos diários da minha filha seria invadir a privacidade de quem ainda nem sabe o que é privacidade. Pra mim, na minha cabeça, isso ainda me parece anti-ético. É como se eu estivesse escrevendo pra outra pessoa e pedindo conselhos ou expondo uma terceira pessoa...

5. Bater cartão da nossa rotina eu acho que não é algo interessante. Seria legal para algumas pessoas amigas que estão longe, para acompanharem o crescimento dela, mas por outro lado, por ser algo "público" gente que eu não gostaria que soubesse da nossa "vidinha de casa" por tabela, saberia, sem eu ter controle.


São alguns dos motivos pelos quais ainda não acho que seja minha hora de ser "mãe blogueira". Talvez eu mude de idéia um dia, talvez não. 

Gosto muito da idéia, já fiz algumas tentativas, até tenho domínios registrados com a intenção de um blog materno, mas a mesma "inspiradora" para o blog é o motivo pelo qual tenho ainda restrições. 

Como vou ensinar coisas que acredito, como ética e respeito pra minha filha, se eu desrespeitar esses direitos básicos dela? 

Como não ficar vendida, ao longo do caminho, se eu quiser firmar esses valores, que para mim são essenciais, nela, se eu colocá-la para gerar conteúdo em prol de um blog, que querendo ou não está á mercê de qualquer um que queira ler.

Eu, falar sobre minha filha, no blog esporadicamente e torná-la o assunto do blog são coisas completamente distintas.

Este é um post pontual, meio que pra explicar, inclusive pra mim, em palavras os meus porquês quanto ao assunto.

Conta pra mim o que você acha sobre ser ou não "mãe blogueira".

Beijo, Ci

sábado, 2 de agosto de 2014

Minha transição capilar - capítulo 1.

Nenhum comentário:
Meu cabelo...então...

Tomei coragem e cortei curtinho. Tudo começou dia 05 de junho. Eu estava usando megahair há quase um mês (fui fazer a aplicação dia 09 de maio, para o aniversário da minha filha), mas estava uma coisa bem paliativa, porque o cabelo "embaixo" do cabelo estava mastigadinho, ressecado...de chorar...rs

Nesse dia lindo, dia 05 desse mês, acordei #acorajosa, fui para o banheiro, minha filha nem tinha acordado e eu comecei a tirar o mega com um estilete de fazer sobrancelha (aloka da coberta...mas foi bem fácil, porque cortei só o lastex. Coloco megahair com aquele elástiquinho, conhecido como fio-a-fio).

E lá foi saindo o cabelón e eu me olhando no espelho com o cabelitos, mas estava tranquila, pensando afinal que "cabelo cresce" e que o meu estava quebrando, não tinha muito o que chorar pelo "leite derramado".

Terminando de tirar o mega, fiz o relaxamento de raiz, porque apesar d´eu querer fazer a transição capilar (crescer natural) meu cabelo tinha partes com diferentes texturas (partes ainda com progressiva e partes crescidas já), dai relaxei para,em 1º lugar, me acostumar com cabelitos. Em 2º lugar, pra aprender a lidar com esse cabelo "novo".

E ele ficou assim depois do relaxamento (dá pra ver as partes desbotadas e o tanto de cabelo quebrado no meu ombro)



Nesse mesmo dia eu cortei as pontas emergenciais, todas essas que aparecem mais "podres".

   



Olha a "tristeza do Jeca" que ficou meu cabelo...rsrsrs.

Antes de me decidir que ia ter o cabelo curto (ao invés de esperar ele se ajeitar com mega hair), ele estava assim...uma das últimas fotos do megahair.



Na manhã do dia 05.06, que eu ia sair pra comprar mais 200 gramas de cabelo, para colocar megahair em toda a extensão da cabeça, decidi que não ia valer a pena, por enquanto, gastar tanto dinheiro e depois de pensar na frase "cabelo cresce", por alguns dias, foi que entrei no banheiro de casa, com tesoura e o bisturizinho e comecei, eu mesma, a tirar o megahair.

E esse foi o resultado no dia, depois de secar e fazer chapinha (lembra que eu falei lá em cima, que acabei fazendo o relaxamento, pra acostumar com o cabelo "novo", né?!)

         

Aqui, o resultado do dia seguinte, quando tomei uma mini-coragem e molhei o cabelo, passei creme e amassei.
               

Ficou bonitinho, mas ainda tinha falhas e molhado, se pegasse nele, ainda dava pra sentir as pontas elásticas arrebentando, sem muito esforço.

Dai duas semanas depois, cortei mais um pouco, uma franjinha que não se acertava mais e os fios que tinham ficado à mais e que nesse tempinho já dava pra ver melhor. Então meu cabelo ficou assim:





Nesse tempo comecei a usar o "shampoo bomba", o famoso, com Monovim A (vou fazer um post ensinando como faço omeu). Como falei, meu cabelo, por tanta tração (puxa-puxa), tanta progressiva e tinta, acabou ficando com falhas. Esse shampoo ajudou a "reconstituir" essas partes e pra dar força para crescer.



Essa foto é do dia 22 de julho e já dá pra ver que as falhas sumiram e meu cabelo está mais encorpado. E ele realmente está, está mais forte, mais saudável, não quebra mais. Antes tinha um mundo de cabelo pela casa, e graças a Deus, parou.


E eis que hoje, faltando 3 dias para completar dois meses que entrei nessa, fiz algumas fotos para acompanhar a evolução de crescimento do meu cabelo e lá estão eles, meus primeiros cachinhos =)
A foto da esquerda é da parte da frente da foto (aquela que a gente corre pra "alisar" quando está voltando a ficar crespa e não quer assumir os cachos) e a da direita são cachinhos do meio da cabeça.

Ainda dá pra ver nas pontas o alisante e eu tenho cuidado do meu cabelo com produtos que hidratam bastante. Vou mostrar pra vocês, também num próximo post, os produtos que estou usando (tenho tirado fotos deles, mas vou organizar e mostro pra vocês).

Pode parecer pouco, mas pra mim já é uma vitória, porque desde sempre, nunca vi meus cachinhos. Quando eu era pequenininha, minha mãe fazia a famosa trança rasteirinha e me colocava laços de cetim de todas as cores...rs. Quando cresci, e meus cabelos começaram a ficar soltos, passei por alisamentos, relaxamentos, permanentes...simplesmente minha mãe não tinha tempo e eu não sabia cuidar e também nem tinha interesse, porque achava meu cabelo feio (porque não sabia cuidar, porque não sabia arrumar, porque cresci achando o cabelo "ruim" feio).

Mas é só cuidar. Nessas duas fotos ai de cima, por exemplo, meu cabelo não está molhado, mas sim hidratado, por isso que está com esse brilho.

Bom, é esse o começo da minha transição capilar, vamos acompanhar...rsrs
Beijo, Ci

P.S.: Ontem quase que caí na "pegadinha do Mallandro" rs. Minha mãe falou de uma amiga que vem em casa fazer progressiva, que cuida do cabelo e etc etc. Com firmeza (na voz e no coração) eu falei que não queria, que vou deixar meu cabelo crescer e vou continuar cuidando dele cacheado.