segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Bomb V e a composição do shampoo e do condicionador.

Nenhum comentário:
Finalmente encontrei para comprar, o Bomb V, que fortalece e assim, induz o cabelo ao crescimento.

Procurei por algum tempo, dai quando estava quase desistindo, um dia, com a minha mãe na ikesaki do Shopping Tucuruvi (paguei R$ 24,90), encontrei o kit com shampoo e condicionador.
O Bomb V é da Nouvelle Cosméticos e promete crescimento saudável capilar, tendo vitaminas nas composições do shampoo e do condicionador. 

Eu fotografei a caixinha para mostrar para vocês qual as fórmulas dos dois ítens do kit, o que é interessante para todo mundo, porque a gente precisa e gosta de saber com o que está lavando os cabelos.


Logo nas primeiras lavagens do meu cabelo, senti que a quebra, aquela que parece que o cabelo vai quebrando picadinho, de pontinha em pontinha, senti que diminuiu e meu cabelo voltou a "encher", porque estava ficando ralinho.


Olhem abaixo, as composições dos produtos:

A composição do shampoo


A composição do condicionador


Ainda tenho mais que a metade dos dois produtos e prossigo usando. No final, conto pra vocês aqui ou faço um vlog pra dizer se gostei ou não.

Beijo e digam se gostam do produto em seus cabelos ou não, como tem sido essa experiência de uso e crescimento (ou não) para vocês.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

[Lançamento] Impala Atitude Neon

Nenhum comentário:

IMPALA LANÇA COLEÇÃO PRIMAVERA/VERÃO 2016 

Com cores elétricas a Impala apresenta a coleção Atitude Neon 

As cores elétricas e fortes estão de volta e aparecem nas roupas com estilo esportivo, nos acessórios, na maquiagem e  também  nas unhas. Com essa tendência, a Impala traz de volta os tons em neon com muita luminosidade para a próxima estação.

Os tons mais vibrantes conquistam mulheres autênticas, ousadas, de personalidade e que não tem medo de errar, por isso a nova coleção da Impala recebeu o nome de Atitude Neon.  Todos os esmaltes da coleção são cremosos e tem acabamento semi brilho, que é característico da própria pigmentação responsável pelo tom neon. 

Para dar nome às cores de Atitude Neon, a marca faz referência as divertidas e bem humoradas expressões usadas por esse universo feminino que gosta de se destacar: As Inimigas Choram - Isso é Poder -  Uau, que Diva -  É Mara! - Só dá você. 

As Inimigas Choram: Um poderoso rosa de causar inveja em qualquer uma - Cor: Rosa

Isso é Poder: O amarelo é a melhor aposta para mulheres de atitude e  que não tem medo de ser feliz - Cor: Amarelo

Uau, que Diva: Toda mulher se transforma numa diva e fica linda com um vermelho coral - Cor: Vermelho coral

É Mara!: Um azul exuberante para mulheres que gostam de se sentir maravilhosas - Cor: Azul

Só dá Você: Para elevar a autoestima e chamar atenção, nada melhor que a vibração do laranja - Cor: Laranja 


terça-feira, 4 de agosto de 2015

10 fatos esmaltísticos sobre mim ou #manidacintya

2 comentários:
Oi gente! Tudo bom com vocês? Hoje fiz esse post para falar sobre um dos assuntos que eu mais gosto, que é fazer as unhas das mãos. 

Gosto eu mesma, de fazer as unhas das mãos, porque gosto de trocar, às vezes, a cor das unhas, antes de completar uma semana (ao contrário das unhas dos pés que prefiro fazer no salão e duram muito, dai escolho uma cor que eu gosto bastante, pra aguentar até a próxima sessão de pedicure)

Então, com essa pequena iniciação, vamos aos 10 fatos esmaltísticos sobre mim, ou #manidacintya (procura essa hashtag no meu Instagram, para ver as cores nas minhas unhas).



1. Uso sempre uma base transparente ou um fortificante transparente, pra não manchar e nem quebrar as unhas. Antes eu usava de vez em quando a proteção transparente, mas minhas unhas começaram a "lascar" muito e uma vez minhas unhas ficaram amareladas, depois d´eu tirar um esmalte vermelho, de uma marca nacional.

2. Tiro as cutículas, mesmo que muita gente não aconselhe. Não consigo apenas empurrar as cutículas, se faço assim, parece que não fiz as unhas.

3. Nivelo as unhas, com polidor de brilho, de vez em quando, porque minhas unhas não são retinhas, tem aqueles "frisinhos" e dependendo o esmalte, ele sai com facilidade por isso.

4. Prefiro acetona ao invés de removedor de esmaltes, especialmente quando o esmalte é vermelho ou escuro. tenho a impressão que demoro mais para tirar o esmalte com removedor sem acetona. O único removedor que eu amo de paixão é o Lutex A, da 5Cinco Esmaltes, que limpa rápido, todinho o esmalte.

5. Faço "frisado"nas pontas, porque acho que dura mais. o frisado é aquela última limpada apenas nas pontas das unhas, após finalizar as unhas (faço um vlog pra mostrar pra vocês como eu faço). Eu acho que dura mais e evita levantar a ponta do esmalte.

6. Na TPM, prefiro esmaltes nudes ou pretos, que dão discrição que o momento precisa, mas não perde o lado chique. 

7. Só gosto de esmalte de "brilhinho"para fazer detalhes, não tenho paciência pra remover esmalte de glitter (exceto o Champagne, da Realce, que é o dourado mais perfeito do planeta)

8. Tenho uma coleção de esmaltes vermelhos, dos tons vermelhos rosados, como o 5ª Avenida e o Vermelho Ivete aos vermelhos mais escuros, como o Beterraba.

9. Tenho uma maleta de esmaltes com uma média de 100 esmaltes. Já tive quase 200 esmaltes, mas agora vou renovando, quando compro novos, doô outros, mesmo com dó. Não adianta deixar pra perderem a validade.

Fato novo! rs
10. Passo Bepantol Creme nas cuticulas, pra evitar descamação. Comecei com esse hábito, porque um dia, levei o Bepantol na minha bolsa, pra passar no rosto e vi pelinhas nas unhas...aproveitei e comecei a usar.

Vocês querem um vlog sobre os meus 10 fatos esmaltísticos? Deixa ai no comentário.

Beijo,




segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Contruindo seguranças através das inseguranças - Projeto What I Be.

2 comentários:

"Eu não sou a minha bulimia".

"Eu não sou meus ataques de pânico."

"Eu não sou a minha agressão sexual."

Estes são apenas alguns dos mais profundos e obscuros pensamentos que as pessoas têm revelado ao fotógrafo Steve Rosenfield em seu ensaio fotográfico "Que eu seja" - que quer construir seguranças por meio das inseguranças de todo mundo.




Ao longo dos últimos cinco anos, Rosenfield pediu a cerca de 2.500 pessoas para compartilhar algumas de suas inseguranças mais íntimas -- algo que não compartilharia com mais ninguém. Os participantes precisavam completar a frase "Eu não sou o meu ___".

O resultado? A troca de experiências e revelações impressionantes sobre questões pessoais como experiências com doenças mentais, sexualidade, imagem corporal, abuso sexual, identidade de gênero e cor da pele.




"Ao afirmar 'Eu não sou o meu ___," [os participantes] reafirmam que estão lutando contra seus medos, e que eles não definem quem realmente são. "Eles não estão negando sua insegurança, eles estão criando consciência dela", disse o fotógrafo.

O resultado desse projeto é inegavelmente poderoso.

Embora o projeto inclui pessoas de todos os sexos, mas as mulheres ganharam um destaque diferenciado: revelaram enfrentar problemas com o corpo, agressão sexual, transtornos alimentares e inúmeros problemas de saúde mental. Assim, elas são capazes de empoderar e transformar a realidade de outras também.




80% dos 2.500 participantes são mulheres. Em entrevista ao HuffPost, Rosenfiel disse: "Eu definitivamente acho que as mulheres são melhores aceitas quando compartilham suas vulnerabilidades. Nós, homens, somos ensinados a "engolir", "ser durão", etc". E continua: "Uma das maiores inseguranças dos homens é justamente compartilhar suas inseguranças".

"O que eu estou tentando fazer com o projeto é mostrar que todos lutamos contra algo", disse. "Não importa se é homem ou mulher, famoso ou não, todos nós temos inseguranças e vulnerabilidades".




Rosenfield criou o projeto em 2010 e fotografou pessoas de todas as etnias, gêneros e idades nos EUA. Ele visitou faculdades, festivais de música, estúdios de ioga e muito mais, à procura de pessoas dispostas a participar.

"Todos nós temos uma história para contar e todos nós queremos compartilhar sem julgamentos", disse Rosenfield. "Eu quero mostrar às pessoas que é possível se sentir confortável na própria pele".




Mulheres que compartilharam suas mais profundas e obscuras inseguranças:
























Artigo originalmente publicado HuffPost US e traduzido do inglês no site BrasilPost.